Blue Bloods: Model Behavior (01×19)

Tá, episódio mairromeno depois de dois excelentes episódios. Talvez por isso eu fiquei incomodada com defeitos com os quais eu costumo ter a maior boa vontade quando falamos da família reagan: só tem o Danny de investigador nessa cidade? Precisava colocar a sobrinha dele como vítima potencial só para rolar toda aquela tensão com a Linda e a irmã e termos a ceninha clichê no hospital em que Linda descobre que a irmão sempre quis ser ela e coisa e tal?

Aí eu fico meio sem paciência e acabou não curtindo a viagem.

Acabo prestando mais atenção ao caso do padre amigo da família que estava sendo acusado de pedofilia e que causou comoção em Frank. Que mais uma vez deu uma segurada no que poderia fazer – acho legal esse cuidado para que ele não abuse do poder que tem – e rendeu boas conversas dele com o pai.

No final só fiquei meio confusa com o desfecho, sim o padre fica, vamos confiar na verdade e coisa e tal, mas e aí? A igreja vai defendê-lo e arcar com o peso ou a história foi simplesmente para baixo do tapete? Será que eu não estava prestando atenção direito na conversa do bispo (era bispo?) com Frank e perdi alguma coisa? Afff, odeio quando acabo um episódio com essa impressão de que eu não entendi tudo, viu?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. Si, é o bigode do Tom Selleck – ainda com plenos poderes de hipnotizar a gente.
    É, eu também achei mais ou menos. Quando estreou eu vi apenas o primeiro episódio e, depois, deixei pra lá. Agora baixei tudo e recomecei do zero. Algumas coisas que notei:

    – A parceira original do Danny não era a Jackie;
    – A filha original da Erin não era essa atriz de cabelo curtinho;
    – Frank fazia mais do que sentar naquela sala e conversar com as pessoas (no segundo episódio a gente vê um verdadeiro QG montado na frente da sala dele, com uma gigantesca janela de vidro separando os dois).
    – A ação conseguia entrelaçar melhor situação policial + vida dos Reagan.

    Vendo os primeiros e os últimos episódios, vi uma diferença brutal no andamento das duas pontas (sem contar que morreu no meio a tal história dos Templários Azuis, que prometia ser eletrizante nos primeiros episódios e, parece, vai ressuscitar dos mortos agora, nos últimos episódios).

    Quando li que os dois roteiristas tinham pulado fora da série por não concordarem com a decisão de aumentar a ação policial fiquei com um medinho brabo de o Tom Selleck pular fora também, porque a razão de ele ter aceitado o papel, segundo o não-me-lembro-que-jornal-americano, era justamente o lado familia da série. Mas acho, sim, que tá precisando de uma mexida.
    Hoje vou ver o episódio 20 (na TV) e o 3 (no computador). E fazer preces secretas para que o seriado dure mais do que só duas temporadas!
    Bjs

    Responder

    1. é o bigode do Tom Selleck – ainda com plenos poderes de hipnotizar a gente.[2]
      esse bigode tem tanto poder … que em Friends fez o Chandler e o Joey tentarem ter um bigode igual heheheh

      graças a Deus que mudaram a atriz que faz a Nicky
      e o Danny teve um parceiro e uma parceira antes de ter a Jackie como parceira, teve até episódios em que ele simplesmente nem tinha parceiro

      eu comecei assistindo pela internet mas como as legendas demoravam muito e vi anunciar a exibição na tv, resolvi seguir pelo canal Liv, apesar das diversas trocas de episódios

      os roteiristas disseram que a história dos Templarios será resolvido nesta temporada pois não vinham motivo algum para alongar esta questão, ainda bem !!!

      Responder

    2. Afffff, quanta observação. Eu tinha certeza da parceira do Danny. A filha da Erin eu achava que só tinha cortado o cabelo. De resto…. Concordo que caiu um pouco mesmo, mas não sei no que mexer. Assim como vc tenho medo de tirarem a história da família e o Tom Selleck sair. Não pode!

      Responder

  2. coitada da Linda, o povo realmente não gosta dela heheheheh
    achei demais a cara do Danny quando descobre que o Rockeiro na realidade mantinha um namoro fake só pra não perder os fãs, logo ele … eu quero dizer … logo ele o Donny que tem uma leva de fãs ardorosas atras dele
    apesar das situações não serem impactantes, foram bem feitas, eu vejo a série com outros olhos, ela é mais ligada a família/comunidade/ao corriqueiro
    a questão do padre não foi pra se achar uma solução, ela foi mais pra se descutida como foi na mesa de jantar, de se levantar a questão pra um debate, eu entendi que a igreja que antes empurrava qualquer controversia pra debaixo do tapete agora quer enfrentar as consequencias então por isso irá manter o padre e ver o que vai acontecer e tentar reparar de alguma maneira ….. mas isso tudo não vemos pois isso iria render mais episódio, a questão foi só um levante pra debate
    bem essa foi a minha impressão

    Responder

  3. Não sei se os óculos eram outros, mas que esses são pequenos, são.

    Episódio fraco. História boba e parece que o elenco tá sem gás, decepcionados, sei lá.

    Realmente, kd os Templario, ou melhor, a trama sobre o assunto na série?

    kd o namoro do Francis? Vcs falam do bigode dele e eu falo de todo o resto… corpo peludo, voz grave… auuuuuuuuuu

    Responder

  4. Episódio mais fraco de toda a temporada (já assisti inteira). Poderia dizer até que é o único episódio ruim.

    Enredo dos templários se resolve no último episódio.

    A mudança de parceira até fixar a Jennifer Esposito eu reparei, mas não lembrava que era outra atriz que fazia a filha da Erin.

    Responder

  5. Libriane, eu estava nessa linha de pensamento, menina. Tijuro!
    Porque hoje é um festival de homem depilado que só sentando e chorando muito, fia. E Tom Selleck… assim, povoou minhas noites adolescentes. E o homem madurou bem, não? Veja você – eu li uma resenha hilária no NYT: a comentarista não botou fé no seriado mas foi lá conferir porque, veja bem, ela tem 44 anos (eu tenho 45) e o homem povoou as noites de adolescente dela também. E aí ela termina a resenha recomendando o seriado. Porque Tom Selleck é Tom Selleck e olha só, a série TAMBÉM é boa!
    🙂

    Responder

  6. Ai Suzana, adorei tuas palavras. (snif)

    Selleck tb povoou minhas tardes de sábado e eu em plena adolescência… Tb tenho 45 aninhos, mas digo a todos que tenho 28 (fazendo biquinho). rs

    Uma vez, vi um documentário sobre aranhas e o macho da espécie tem que ser bastante peludo para chamar atenção da fêmea. Te juro que eu só pensei no Tom Selleck, no Sam Elliott e no Sean Conery (pq será, né?) rrssss.

    Já falei outras vezes, gosto da série pelo Tom e Danny, mas acho que não vai passar da segunda temporada se continuar assim. Acho que deveria eliminar o vovô, o filho advogado/policial; a neta, os netinhos e a Linda. O conflito giraria em torno do casal de filhos (muitos motivos pra briga) e do Tom, claro. Vez ou outra apareceria um ou outro parente. Assim, as vidas íntimas dos três, seria melhor mostrada… Acho que vou me candidatar a redatora. rrsss

    Responder

Deixe uma resposta