Supernatural: The Man Who Would Be King (06×20)

Pô, Castiel, aprendeu tanto com os seres humanos e, ainda assim, não aprendeu que é melhor discutir certos assuntos com seus amigos antes de correr para um acordo com o capeta?

Vocês podem me dizer: mas Simone, sem isso, o que restaria da sexta temporada? Um monte de coisas, oras. Restaria os dois irmãos pegando monstros como sempre fizeram e, afinal, toda a coisa do Apocalipse só surgiu depois que já os adorávamos em sua missão de trabalhar pelo bem maior. Então, uma sexta temporada de perseguições não seria nada mal. Agora eu tenho um anjo aliado com um demônio a fim de ganhar de outro anjo.

Só eu acho que isso não pode dar certo?

E a prova disso é que o que eu mais gostei do episódio pouco tem relação direta com o dilema moral de Castiel, que seria a trama principal. Gostei de ver o mundo paralelo dos demônios, com versões alternativas de Bobby e os meninos. Olha que ideia sensacional a ser explorada pelos roteiristas em outros episódios – talvez eu só ache isso porque sou fã de Fringe, eu sei.

Da trama principal fica a certeza de que Castiel, acima de qualquer dilema, valoriza Dean, tanto que não foi atrás dele para iniciar a perseguição aos monstros em busca do caminho para o purgatório. Do outro lado, fica Sam fazendo biquinho de bravo – desculpem, risos, eu não resisto, a cara dele me mata – porque Castiel não hesitou em trazê-lo sem alma mesmo só para seus propósitos. Dois pesos, duas medidas.

Mas essa preferência de Cas já era conhecida da gente e a gente entende.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. Eu nao assisto Fringe…mas tb adorei a versao out do bobby…otima sacada …

    agora é esperar no q vai dar essa parceria…

    Responder

  2. Simone, quando você assistir o próximo episódio, verá que estava com toda razão.
    Realmente, Cass se perdeu de vez! Espero que ainda tenha salvação, pois, gosto muito dela e sua relação com os meninos, em especial, é claro, com Dean.
    Beijos! E mais uma vez, parabéns pelo blog.

    Responder

Deixe uma resposta