Bones: The Mastodon In The Room (06×01)

Santa demora Robin!! A sexta temporada de Bones está chegando ao fim lá nos Estados Unidos, mas só chegou à telinha brasileira bem em meio a uma semana de feriado prolongado. Aposto que um monte de gente perdeu o retorno, tô certa?

Eu confesso que comecei assistindo ao episódio cheia de má vontade. Não escondi de ninguém minha decepção com o final da temporada passada em que todo mundo simplesmente larga tudo e vai viver por aí como se fossem um bando de adolescentes nas férias de verão. Ao que parece não fui a única que não gostou disso e a voz de Cam ao chamar atenção para o egoísmo da Brennan refletiu isso.

Voltamos ao Jeffersonian, ops, não, não voltamos. Cam ficou sozinha e o museu a despejou para o FBI, para ser mais exata, para o porão do FBI com direito a jalecos nada elegantes e mesas descombinadas. Cabe a Caroline juntar todo mundo para evitar que ela perca seu emprego e, mais que isso, para que a equipe volte a ficar junta.

O primeiro episódio foi sobre todo mundo de volta e avaliando se vão ficar ou não. Booth tem um novo amor – sério como um ataque cardíaco – e Angela está esperando um bebê. Ah, e a rodada de estagiários chega ao fim, já que Wendell é o único ainda disponível e interessado na função.

Foi basicamente sobre isso, com alguns momentos para a equipe descobrir que o corpo encontrado não era do menino morto e para Booth ajudar a mãe a reencontrar seu filho. Um casinho até que bem legal. E eu gostei mesmo do novo visual do Sweets, mais alguém?

Ah, o mastodonte do título, infelizmente, só aparece no final. Fiquei bem curiosa de como eles vão dar um jeito para tirá-lo de lá.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

3 Comentários


  1. concordo que o final da temporada passada para mim foi um desastre total, foi tudo sem sentido ver todos ao mesmo tempo pular fora do barco … ops do Jeffersonian
    daria mais sentido se fossem em tempos diferentes

    bem mas são aguas passadas
    agora vemos todos ao mesmo tempo voltando para o mesmo barco, sério que a Brennan volta no mesmo dia que todos O_O
    e todos voltam juntinhos !!! ok … fiz força para engulir arghhh

    Booth de amor novo no meio daquela loucura de guerra ??? ok … fazendo força denovo para engolir
    o caso foi bem melhor que essa reunião, resolver não só um caso mas dois foi bem amarrado
    e o Sweets com esse novo visual dá a ele mas maturidade e foi ridícula a sua ocupação pós-FBI, compositor arghhhh

    e Simone apesar de não gostar de maneira nenhuma da namoradinha do Sweets (esqueci o nome dela) ela também é estagiaria junto com Wendell
    de todos os estágiarios o Wendell é o que mais me agradou, torço para que ele fique 😀

    Responder

  2. Vamos combinar que eu olhei para a cara do Sweets e pensei que ele ia soltar alguma coisa com sotaque-clichê francês. E que quando eu vi o ataque cardíaco do Booth eu me lembrei daquela correspondente de guerra brasileira que sempre usava um lencinho no pescoço (era o canivete suiço dela – mil-e-uma-utilidades) que quase tem um treco quando ia entrar ao vivo no Jornal Nacional como a única repórter ocidental no Afeganistão ocupado e a produtora em Londres pergunta se ela tem um blazer e ela pensando como assim um blazer? Eu não tomo banho há quatro dias! Retomando: me lembrei daquela correspondente de guerra quando vi o cabelo do ataque cardíaco do Booth.

    Que cabelo é aquele, minha gente?

    Responder

Deixe uma resposta