CSI: Blood Moon (11×03)

Não é a primeira vez que CSI usa a temática dos vampiros em suas histórias, mas, com certeza, essa foi uma das histórias mais divertidas – mesmo que a diversão, muitas vezes, ocorresse de forma involuntária. Nem Langston me irritou, vejam só vocês.

E em que outra cidade você pode imaginar uma convenção que une os inimigos Vampiros e Lobisomens – como CSI também é cultura a gente aprende que eles se tornaram inimigos porque os primeiros tentaram escravizar os segundos num passado distante – com direito a participação de um “descendente” de Van Helsing.

O episódio teve um roteiro bem amarrado, momentos divertidos e várias referências pop. E várias referências ao Grisson: achei legal Nick se apresentando como o homem-inseto e depois, quando Sarah faz uma citação inteligente, ele agindo como se Grisson tomasse o corpo dela. Seria um bom momento para que ela explicasse por que não foi embora ao encontro do marido, afinal, já passou um tempão, não é não?

E, numa boa, não to ligando muito para as decisões que a Catherine toma em sua vida pessoal, só para constar.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Excelente, review!!! Concordo com tudo! CSI está beeeem melhor nessa temporada. E a Cath não me faz nenhuma falta. Gosto do estilo do casamento Sara-Gil (mas sempre torci pelo romance dos dois, hehe), por não ser convencional (é melhor do que o romance do Danny-Lindsey em NY, que já está chatésimo). E sempre adoro as caras do Brass nas situações bizarras!!!

    Responder

  2. A temporada 11 foi uma das melhores…. A Cath faz tanta falta!!! E a Catherine e o Vartann é o melhor desse episodio!!! Episodio nota 10

    Responder

    1. Bia, sabe que eu não sinto falta dela não? Esses últimos meses no automático dela tiraram muito da graça das suas participações.

      Responder

Deixe uma resposta