Grey’s Anatomy: This Is How We Do It (07×17)

Como não gostar de alguém e de repente gostar? Stark não mudou, ele ainda é o estranho médico frio do qual a gente não gosta. Só que agora ele também tem um outro lado, alguém que provavelmente nunca encontrou uma pessoa de quem realmente gostasse, alguém que nunca encontrou uma pessoa que o desafiasse. E ele encontrou essa pessoa em Kepner.

Kepner que também não é fácil e que também não tem alguém que realmente goste dela.

Então, de uma maneira muito bizarra, eu acho que esse casal poderia dar certo, por mais absurda que a ideia pareça para as outras pessoas. É que eu simplesmente entendi a frustração dos dois, naquele olhar dele quando ele fala para Kepner que ele não queria somente sua amizade, e no olhar dela se sentindo muito sozinha ao olhar para aquela tela de TV.

E  falando de frustração: pobre Cristina, por um breve momento ela realmente acreditou que poderia ser a chefe da residência e viu na escolha de Hunt por Richard a esperança acabar rapidinho. Não consigo imaginar Cristina recebendo ordens de algum de seus colegas, mesmo sabendo que, com Hunt ou não, ela também não seria a melhor escolha para chefe da residência.

Adele e Richard: achei muito bonita a forma como a confirmação da doença dela foi tratada. Achei uma pena que ela não possa fazer parte do teste, mesmo sabendo que ia ser um inferno na Terra para Derek e Meredith se ela participasse.

Finalmente: confesso que nem fiquei tão de saco cheio com o trio papai e mamães neste episódio, toda a história do chá de bebê foi bem engraçada. Só achei meio estranho nenhuma buzinada, nenhuma luz de farol, nada antes do acidente.

E aí, todo mundo pronto para o episódio musical dessa segunda?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

6 Comentários


  1. Confesso que eu já impliquei com o trio de “grávidos” e não tem jeito de me livrar disso! Eu sempre passo pela parte deles. Para mim, o chefe dos residentes deveria ser o Karev, que ainda se mantém o mais profissional. Espero que aquela médica gineco chata se mande e deixe ele trabalhar.:-)

    Responder

    1. Também torço pelo Karev. Ele é meredith são os favoritos, mas ela já tem o estudo. Quanto ao trio: no episódio seguinte só avançando o episódio todo para escapar deles, heim?

      Responder

      1. hehehehe! pois é! eu vi o episódio seguinte a jato! não consigo suportar aqueles três e o draminha deles… E, falando sério, achei o episódio musical superpiegas e sem destaque nenhum para a protagonista, a Meredith. Nem cantar direito ela cantou. Nem a Cristina!Achei desaforo!

        Responder

        1. Não achei desaforo, mas também não vi graça nenhuma. Melhor seria um no estilo que House fez, em que a Cuddy dá uma pirada e sonha exagerado. Acho, cada um com uma frase, sei lá. Ficou tosco.

          Responder

          1. isso, também achei tosco! Tudo bem que a Callie canta muito bem, a Bailey tb, mas GA não é Glee, nem Broadway, poxa! que mania chata agora que tudo tem que ter um musical! Achei muito piegas e excessivamente centrado nos personagens de que menos gosto. Conclusão: achei chatésimo! Mas isso é tema para sua outra review, né??? Sorry!!!!:-)


  2. Nãoo gosteii desse episódioo musical nãoo,tinhaa tudo p/ ser sensacional e com mt emoçãooo mt intensidade.Porém a vibe Glee desse episódio estragou tudoo,não q eu não goste de Glee,mas ficou mt nada a ver.

    Responder

Deixe uma resposta