Law And Order: Brazil (20×18)

#PiadaModeOn: Essa carinha aí do Cutter só pode ser por causa da pausa na exibição dos episódios inéditos que o Universal Channel começa amanhã, não é? Quando eles voltam? Só em 03 de Agosto, sendo o que o final da temporada já foi exibido nos EUA há mais de duas semanas. #PiadaModeOff

Eu preciso realmente repetir o quanto gosto do seriado e o quanto tenho gostado desta temporada? Pois bem, já em sua reta final, Law And Order continua mostrando que não tem medo de mostrar que o mundo não é tão cor-de-rosa, ou melhor, nem mesmo preto e branco: as nuances são enormes e tomar partidos é desafiador.

Numa história claramente inspirada no caso do menino Sean, trazido para o Brasil por sua mãe após o divórcio e que ficou afastado por anos do pai, mesmo após a morte desta, temos uma mãe egoísta o bastante parta não pensar na sua filha ao tomar as decisões de sua vida, um pai que, desesperado, perde a noção do que é certo e errado e, mais surpreendente, avós que são capazes de mentir e matar apenas para ter sua neta mais perto deles.

Eu confesso ter ficado surpreendida com a virada final, o envolvimento do avô no plano de matar o padrasto da garota, apesar de ter percebido rapidamente que o sumiço da menina não tinha sido à toa. Primeiro imaginei um plano da própria mãe para tirar a garota, depois foi fácil perceber que estavam armando para que ela ficasse mal vista.

Com tanta história, vale destaque para o trabalho de Tony Hale como o pai desesperado: adoro o ator em comédia, e agora adoro em drama também.

Mais um episódio com grande destaque para o pessoal da Ordem, sem reclamações, eu amo Linus Roache, e pouca graça com minha dupla de detetives mais querida na atualidade.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta