Lie To Me: The Core Of It (02×01)

Aqui no brasil a distância entre a exibição da primeira e da segunda temporada de Lie To Me nem foi tão grande, mas eu já estava com saudades de Cal Lightman e suas manias.

E seu retorno foi na melhor forma, apesar de não ser a questão de identificar mentira ou verdade, mas descobrir o culpado de um assassinato passando pelas várias personalidades de Sophia, interpretada muito bem pela jovem Erika Christensen (Six Degrees). Foi interessante observar as mudanças de expressão e postura em função de cada personalidade a medida que Gillian ia nos indicando o caminho.

E, gente, como é possível passar da adoração ao ódio em relação a Cal Lightman de maneira tão fácil? Sério. Eu sei que ele não é má pessoa, mas esse seu lado “descobrir a verdade” seja qual for o caminho me dá aflição em certas cenas. A cena em que ele força o aparecimento de RJ para saber a verdade me deu calafrios.

A segunda trama foi “legal”, mas poderia ter sido mais ainda: jura que o juiz tinha implicância com Torres por uma bobeira como aquela de seu passado? Ou foi só eu que não enxergou tanto problema assim no que ele fez? Nada que justificasse tanto drama.

E Gillian? Bem, confesso que ela pareceu realmente mais leve agora que está separada, mas não diria que ela está saltitante. Ainda sinto falta dela comendo de tudo a toda hora como vimos no episódio piloto :).

Finalmente: Cal tomando a decisão de colocar em risco financeiro para não ficar longe de sua filha. Hummm, alguém pensou em ele simplesmente oferecer para a garota ficar com ele? Eu acho que ela toparia o experimento. Mas nem vou reclamar muito, porque sempre existe a possibilidade de usaram isso para colocá-lo em uma sinuca qualquer dia desses.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Si, também sinto falta da Gillian agarrada a seus mil quitutes açucarados! E o Cal às evzes também me irrita com a necessidade dele de ficar na cara das pessoas, exigindo a verdade, que na série quase sempre se prova a saída mais acertada, mas não é bem assim, né? Às vezes as meias verdades e mentiras são para proteger não só os outros, mas também a nós mesmos. Ele exagera com sua honestidade hardcore, acho que é quase tão ruim quanto o Loker nesse sentido. Mas o Tim Roth é ótimo, e realmente é impossível não adorá-lo às vezes. No mais, vi esse episódio há tanto tempo que nem me lembro dele.

    Responder

Deixe uma resposta