The Good Wife: Fixed (01×04)

The Good Wife Fixed S01E04

Gostei de Fixed, mas não o considerei um grande episódio. Os roteiristas correm o risco de cansar a audiência ao deixarem de maneira tão fácil a percepção que Alicia tem de questões que os demais não conseguem enxergar – uma coisa é ela perceber coisas que realmente não estão à vista devido a sua perspicávia, outra é todos na mesma sala olhando para a mesma coisa e só ela vendo.

A melhor parte vem de sua oposição a Diane, que jamais admitiria se sentir incomodada pela boa moça, mas que já teme o que ela poderá trazer para o caminho. O que eu mais gosto é do fato de Diane não ser boa ou má, ela simplesmente sabe jogar o jogo e conhece bem suas regras. Alicia já tem mais o perfil da boa moça – cairia bem na defensoria pública, por exemplo – que nem sempre sobe a escada do sucesso.

O que ganhou bastante espaço neste episódio e, aparentemente, deve também ganhar mais espaço nos episódios seguintes com a chegada do julgamento, foi a trama por trás da prisão do marido de Alicia. Infelizmente ela vai descobrindo, pouco a pouco, que existe mais de mentira do que simplesmente o caso com as prostitutas. Para uma mulher correta como ela eu realmente não sei o que incomoda mais.

E o caso da noite parece perfeito para colocar as crenças de Alicia em xeque: ao desconfiar que os advogados da outra parte estão trapaceando ela passa a investigar quem seria o jurado comprado, sem saber que são seus próprios clientes a trapacear. A vitória é a mesma desse jeito? Diane acha que sim, afinal, a firma não fez nada de errado.

Aqui entre nós: só eu achei que o fingimento de bom amigo de Cary deu lugar a uma absurda falta de educação? Tipo: não vamos mais fingir, estou louco para passar a perna em você.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta