Glee: Acafellas (01×03)

Glee Acafellas S01E03

Fui fisgada e agor anão tem retorno: o terceiro episódio de Glee foi assistido na reprise na casa de meus pais no final de semana e todos adoraram, inclusive maridão e Carol.

Engraçado que eu jurava que não ia gostar de Glee – santa camiseta – e atribuo isso a dois motivos: primeiro pelas comparações com High School Musical, feitas a exaustão para evitar que quem odiasse o filme também não visse a série e que tiveram efeito inverso para mim – Sorry Guys, os dois são mais parecidos do que vocês imaginam! – e, em segundo lugar, porque nele você ainda não consegue ter idéia direito de como as histórias serão conduzidas.

Ele acabou sendo uma enorme apresentação de personagens, mas a maneira como eles interagem só nos é mostrada no segundo episódio e amadurece aqui.

Tudo bem que ter Victor Garber surgindo na tela como pai de Will foi um trunfo – adoro o ator. O personagem dele funcionou tão bem que espero, de verdade, que esta tenha sido a primeira de muitas participações, adoraria saber de suas histórias na faculdade.

E foi a relação de Will com seu pai que acabou por dar todo o tom do episódio: superação, realizar sonhos, encontrar verdadeiros amigos.

Com destaques para: Rachel e seu jeito muito mandão que só demonstra o quando ela precisa se sentir aceita; Mercedes e seu número musical no lava carros (que voz tem essa guria?!?); Kurt assumindo seu homossexualismo para a amiga de uma forma corajosa e ao mesmo tempo significativa;

Menos destaque para os números do coral não significou menos música: Will e os amigos montam um grupo para canções à capela, ao qual dão o nome de Acafellas, ressuscitando alguns conhecidos hits dos anos 90. Eu curti essa idéia tratar a tal crise da meia idade com música.

A apresentação do grupo também fez outro serviço: Terry percebe a ligação entre Emma e Will. Sua primeira providência foi voltar a apoiar o marido, mas o episódio destacou mesmo o esforço dela em engravidar, esforço que Will atribuiu ao fato dele ter voltado a cantar e assim ficar sexy.

Não gosto de Terry, já falei aqui, não por sua personagem ser má, adoro bons vilões, temos Sue que não me deixa mentir, mas por considerá-la a única personagem que não me convence.

E, roubando as cenas, Sue Sylvester: sim, eu torço para que ela se dê mal e para que Glee seja um sucesso; mas eu fico ansiosa mesmo é para ver o que ela planejará em seguida. Mas achei prematuro Quinn já se bandeando para o outro lado…

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Adorei Glee mas perdi justamente esse episódio. Espero que tenha uma maratona para eu conseguir acompanhar 🙂

    Responder

Deixe uma resposta