Criminal Minds: Paradise (04×04)

Criminal Minds Paradise S04E04

Particularmente eu não gostei tanto de Paradise, achei o episódio um pouco superficial. Talvez eu também não tenha gostado do fato de, mais uma vez, a ex-estrela que aparece como convidado, no caso Wil Wheaton (Jornada nas Estrelas: A Nova Geração), ser o bandido da noite.

Por outro lado a escolha do ator, que fez papel de bonzinho, como bandido pode ter tornado o personagem mais humano e, por isso, o fato de Hotch não ter enxergado nele um assassino é muito mais verdadeiro. Nós devemos cometer erros semelhantes todos os dias, não reconhecer o mal em alguém que vemos, mas no caso dele isso poderia ser considerado um furo, sendo o especialista que é. Mas ele é tão humano quanto nós mesmos e quanto o assassino.

Criminal Minds Paradise S04E04

Acho que parte de minha decepção com o episódio tenha vindo por causa da qualidade da abertura. Sim eu já sabia que algo ia acontecer de estranho quando o caminhoneiro aparece ou quando ele olha para aquele carro, mas isso não tornou aqueles minutos menos tensos do que foram.

E graças a isso foi mais profundo ainda ver e entender a reação do caminhoneiro quando ele fica sabendo que não matou ninguém. A reação de alívio foi tão espontânea e natural que você praticamente pode sentir a dor que ele se sentia por se sentir responsável. E, mesmo assim, ele ainda aceita se sacrificar mais um pouco para ao prejudicar a investigação.

Acho o contraponto interessante: podem existir vilões frios, mas também existem pessoas que são realmente boas. Isso vale como alívio, como conforto.

Já as cenas da tortura sofridas pelo casal não foram tão impactantes – isso pode ser um péssimo sinal para mim, de que já me acostumei – ou talvez tenha faltado empatia minha com eles. Eu não fiquei especialmente ansiosa com o desfecho da história deles, não fiquei com aquela sensação de corrida contra o relógio.

Para dar alguma leveza ao episódio: foi ótimo quando Hotch pede ao resto do pessoal que lhe lembre de aplicar um teste de drogas em Garcia depois de mais um daqueles discursos sem o mínimo sentido que ela faz.

*Texto escrito para publicação no Teleséries.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta