a menina que roubava livros

meninaqueroubava

“os seres humanos me assombram”

Essa é a última frase da Morte em a menina que roubava livros e, Meu Deus, como ela tem razão.

Pouco antes de terminar o livro eu comentei com uma amiga que ele é um dos melhores livros que li, não tenho dúvida, e a diferença de O Caçador de Pipas e a menina era o fato de que, no caso deste eu conseguia segurar o choro quando o lia no metrô, diferente de O Caçador, que me fazia chorar incontroladamente.

Pois bem, cheguei ao fim do livro chorando como criança. Acho que os últimos três ou quatro capítulos quase me mataram de tristeza. Mas, ainda assim, é um livro que você termina feliz, é um livro para se guardar na memória.

O livro narrado pela Morte, uma Morte fascinante que enxerga cores, que acabam por marcar os momentos da “vida” dela, conta a história de Lieser, menina alemã de vida sofrida, que acaba por encontrar amor no seio de uma família disfuncional em plena Segunda Guerra Mundial.

Lieser rouba seu primeiro livro em um momento que divide sua vida: seu pequeno irmão morre e sua mãe a entrega para a adoção de outra família. Seu novo pai, o amoroso Hans, para matar sua vontade de ler aquele livro, lhe apresenta as letras no porão da casa, usando a tinta de paredes e as paredes do porão para isso, nas madrugadas em que a menina acorda de seus pesadelos.

O livro é essencialmente triste, afinal, a Segunda Guerra não poderia ser cenário de algo muito diferente, mas, talvez justamente pela grandiosidade do cenário, é interessante ver as pequenas coisas do dia a dia de Lieser e sua família, sua descoberta das letras, o amor pelos livros, as escolhas de todo dia e seu impacto na vida de todos a sua volta.

Não é um livro sobre a guerra, mas um livro sobre pessoas comuns que têm sua vida modificada de maneira ímpar pelos acontecimentos desta e pelas decisões de pessoas muitas vezes tão distantes.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Concordo plenamente com sua opinião sobre o livro. Também chorei muito, muuuuuuito nos capítulos finais. Cheguei a odiar esse livros por alguns dias, tamanho o impacto que teve em mim. Mas é realmente muito bom, o melhor livro que já li. Adoro ver comentários sobre ele *-*

    Responder

  2. eu sempre ouvi falar muito desse livro,e quando li ,nossa me encantei de verdade,é aquele tipo de livro que te passa todas as emoções possíveis,adorei.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *