Medium: Wicked Game (04×10)

Eu assisti a este episódio cheia de expectativas, afinal, meus comentaristas me deixaram assim. Não que eu tenha ficado decepcionada, mas, acabei gostando bem mais da primeira parte da história que da segunda.

O que eu gostei mesmo da segunda foi a parte do dilema moral. Afinal, você critica a atitude de Cynthia ou não? Você não faria a mesma coisa?

O episódio começa nos relembrando dos acontecimentos: Joe bravo com Allison por causa da grana da faculdade das meninas, Cynthia achando que Allison é parcialmente louca e que o que ela diz sobre o desaparecimento de Suzie não procede. E a gente tão surpresa quanto Suzie ao ver Johanna vivinha da silva fora da casa.

A questão era: e agora? Allison sabe claramente o que aconteceu, mas como conseguir as provas? Como levar a condenação Johanna, uma verdadeira sociopata?

É claro que parte de minha atenção foi devidamente desviada quando Bridgette conta a Joe seu sonho. Eu fiquei ali, a espera de que ele encontrasse o homem de cabelos brancos que ia dar “montes de dinheiro” para ele. Ficava mentalmente falando: vai Joe, vai logo no banco homem de Deus!

Quando ele chega ao banco e o homem de cabelos brancos não lhe dá dinheiro minha conclusão foi fácil: não era o homem que Bridgette tinha sonhado. Minha fé nos sonhos das meninas Dubois é tão grande que eu não podia aceitar que fosse diferente.

E fiquei feliz em ver Allison mudar de idéia e aceitar assinar os papéis para que ele usasse o dinheiro. Melhor que isso foi vê-lo voltar ao banco com Bridgette, que encontra o homem de seus sonhos em um cartaz. Joe leva um belo tombo devido ao chão úmido e acaba por ganhar um cheque de US$ 15.000 de indenização. Achei ótimo quando ele fala para Allison que arrumou uma profissão nova: ficar caindo em bancos, supermercados e lojas.

Quanto à história de Cynthia: acho que não a veremos mais no seriado. Não acredito que dêem grande destaque ao restante da história dela, afinal, ela matou uma pessoa e, mais ainda, uma pessoa que a polícia não sabe que fez tudo o que fez.

Acho que foi um desfecho justo. Como a personagem mesmo repetiu nestes dois episódios para Allison, a busca pela verdade sobre o desaparecimento de sua filha foi parte importante de sua vida nos últimos nove anos e ela não conseguiria sobreviver sabendo que a verdadeira culpada ficaria livre. A questão, eu acho, não foi impedi-la de fazer de novo, o que para alguns seria mais compreensível, mas sim fazer justiça ao que aconteceu com Suzie.

E, por mais que a personagem não tenha sido unanimidade entre os fãs, afinal, ela conseguia ser terrivelmente antipática quando queria, achei o final do episódio tocante, A cena final, em que ela pede para que Allison apenas segure sua mão me deixou enternecida. Ela uma mãe que perdeu sua filha e, quem sabe por isso, se tornou amarga. Imaginando que nenhuma justiça seria feita, ela toma a decisão de tirar uma vida… Por mais decidida que estivesse, não foi uma decisão fácil, afinal, ela não era uma pessoa má.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. Sinceramente não sei escolher uma parte ou outra. Vi as duas em seguida como um bloco só.
    Achei chocante este fim. Apesar de ter raiva da Cíntia por sempre duvidar da Allisom não imaginava a saída dela assim. Mas pensando na história foi um bom fim para este arco. Nunca passei por uma situação nem perto disto mas eu acho que não faria isto.
    O Joe no final conseguindo uma indenização pela tombo foi muito legal. Depois de tanta coisa dando errada eles mereciam isto. Espero que também dê certo a idéia dele e as coisas comece a melhorar. Agora só nos EUA para um tombinho bobo daquela dar indenização de 15 mil doláres. Aqui nem desculpa a gente consegue.

    Responder

  2. Achei o final inesperado, mas também não acho que vai haver uma continuidade na história da Cintia, embora talvez os produtores achem que o público vai querer saber o que aconteceu com a Cintia e resolvam mostrar o julgamento.
    Joe e Bridgete são impagáveis, sua historinha consegue interessar tanto quanto o “caso” do episódio.
    Alessandra tem toda razão, aqui no Brasil a polícia mata nossos filhos, avião cai e nada de indenização, imagine então um tombo!

    Responder

Deixe uma resposta