Bones: The Widow’s Son In The Windshield (03×01)

Bones 03×01

* Publicado, originalmente, em 28/09/2007

As coisas não parecem mais as mesmas dentro do Jeffersonian… Mas elas nunca foram tão iguais e, por isso mesmo, tão boas. Zack pode até estar longe e Brennan pode até não saber ainda ao certo qual o seu lugar, dentro do laboratório ou ao lado de Booth em campo, mas, na realidade, a equipe está mais integrada do que nunca.

Numa via expressa três garotos em um carro. O casal atrás se diverte enquanto irrita o motorista, o escolhido para se manter sóbrio e voltar dirigindo para casa. De repente um crânio humano bate contra seu pára-brisa, um susto e tanto.

No laboratório, Cam e Brennan testam um possível candidato para substituir Zack. Só que já é o décimo quinto candidato… E Brennan não parece muito disposta a realizar a escolha. Booth consegue, apesar dos protestos da antropóloga, arrancá-la para uma nova cena do crime. Ela não entende bem o que ela pode fazer em meio ao que parece um acidente de trânsito.

Ângela e Hodgins continuam tentando se casar e, para isso, contratam um investigador particular para encontrar o marido dela. Problema? Quem sabe o fato dela não saber seu nome, ou como ele era, ou onde ele possa estar complique um pouco as coisas.

De volta ao laboratório Brennan examina o crânio enquanto Cam se mostra frustrada com o fato da antropóloga não escolher alguém para o cargo… Nunca. No meio da conversa Brennan descobre algo intrigante e desalentador: o crânio tem marcas de dentes, como se tivesse sido comido.

Booth tenta obter um mandato para vasculhar o lixo, já que o crânio poderia ter caído de um caminhão, e temos Caroline Julian, a promotora, de volta. Espero que minha impressão se confirme e ela apareça mais nesta temporada do que na passada. Adoro sua presença e como ele interage com cada membro da equipe.

Uma anomalia no crânio permite sua identificação através da comparação com as radiografias de pacientes com o mesmo defeito. Ângela aproveita o momento e coloca Brennan na parede, pois acha que a amiga está fugindo de ir à campo com Booth porque os dois foram largados no altar pelo casal.

Mesmo negando o que a amiga acha, Brennan dá a desculpa do excesso de trabalho para não acompanhar o interrogatório da namorada do menino morto, identificado como sendo o jovem violinista Gavin Nichols. Ângela acaba sendo quem acompanha o interrogatório e acaba rendendo uma das cenas mais engraçadas do episódio, ou você não imaginava ela falando coisas impróprias pelo microfone?

No interrogatório uma nova informação complica a investigação: o rapaz tinha um caso com a esposa do chefe do serviço secreto americano. Apesar das péssimas expectativas de Booth ele acaba concluindo que a mulher e seu marido não tem nada com o crime: ele já sabia do caso da esposa, que não foi o primeiro e os dois, bem, tem um relacionamento moderno.

Hodgins acaba identificando um fragmento de granito encontrado no crânio. O tipo de granito é raro e ajuda a limitar as áreas onde o crime teria acontecido. A aposta é um banco desativado há muitos anos, onde o granito foi usado na fundação.

Booth e Brennan, ela quase arrastada, chegam ao banco e acabam por abrir o cofre, nele encontrar diversos artefatos antigos, uma frase escrita em grego na parte de trás da porta, o violino de Gavin, que vale mais de três milhões de dólares e um esqueleto: feito em prata, ele teve alguns ossos substituídos por ossos de verdade. É, o paraíso do assassino é ali mesmo… Sem esquecer de Booth se jogando sobre Brennan ao confundir um transmissor de rádio com uma bomba. Ele fecha os olhos, o que vale a frase do episódio: “Fechar os olhos ajuda como em uma explosão?”.

É claro que Hodgins tem milhões de teorias conspiratórias e quitais para citar… Que passam até pelos Iluminatti.

Levando tudo ao laboratório o que não falta para a equipe é trabalho… E desculpas para Brennan não sair de lá… E a surpresa fica por conta do rápido retorno de Zack, que meio que foi, hum, expulso do Iraque por problemas de adaptação. Cam explica que se adaptar perfeitamente ao grupo do Jeffersonian pode ser muito mais do que muita gente consegue.

Cabe a Zack descobrir o detalhe que garante a solução do caso, ou a gente acha que garante: uma marca muito específica no crânio, como de um diamante. Brennan é quem dá a notícia a Booth que pode verificar a lista de pessoas com acesso ao banco e quem tem diamante nos dentes. Ele fica feliz ao receber a notícia de que Brennan voltará a acompanhá-lo.

Booth e Brennan interrogam Jason Harkness, um garoto que limpava o lugar e já tinha uma ficha corrida meio estranha. Quando você olha pro moleque você já sabe que tem algo errado… E, quando ele começa a falar que não tem gosto de frango nem de peixe você tem certeza que ele é pirado de pedra.

No laboratório, Zack consegue identificar que existem pelo menos seis vítimas, cujos ossos foram utilizados no esqueleto. Um serial killer foi encontrado. A questão é: nos esqueletos mais antigos as marcas dos dentes não pertencem ao Jason. Alguém lhe introduziu no estranho culto e ainda está a solta.

Ângela e Hodgins encontram-se novamente com o detetive Doyley, que conseguiu identificar que o marido dela tinha o apelido de Birimbau, que talvez seja brasileiro… Hehe, segunda referência ao nosso país no episódio. Quando Hodgins descobre o tipo de granito ele cita nosso país como principal fonte dele.

Quando Brennan e Booth vão até a prisão para conversar com Jason sobre seu tutor eles encontram o corpo do garoto. Morto na mesma posição em que o esqueleto estava no cofre. As teorias de Hodgins podem ser úteis.

Ele conta que a posição pode representar sacrifício, é a posição do filho da viúva (widow’s son). Essa é a única pista que resta para a equipe.

Num belo nascer do sol em Washington Brennan e Booth tomam um café e conversam sobre a equipe. Booth fala que eles são o centro de tudo e, por isso, precisam ficar bem, para que todos fiquem bem.

Inclusive a gente. Um bom retorno para Bones.

Escrito por Simone Fernandes

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

6 Comentários


  1. Hei Si já baixou o season finale?
    :-O

    Acabei de ver NCIS… OMG… e agora tem que esperar até setembro.

    Responder

  2. Ai que dó que da, neh?

    Mas enfim… eu li uma entrevista “do/a aprediz” no tvguide e pode ser que a pessoa em questao volte em algumas participaçoes.
    Olha eu tentando nao soltar spoiler sobre quem é.
    hehehehe

    Quanto a NCIS… eu chorei váááárias vezes durante o episódio.
    E fala sério: aquela minha teoria sobre os explosivos e balas quase vencidos está certa.
    Bones, NCIS, CSI e Criminal Minds confirmaram minha teoria…hehehehe…
    Ah, falando em Criminal Minds, se prepare, vc vai ficar de cabelo em pé.
    Aliás, fora o sofrimento de tudo que acontece, todos os finais que vi até agora estao excelentes. Muito cliffhanger pra próxima temporada.

    Responder

  3. Porque o Booth chama a Brenann de Bones.
    Faz parte do nome dela ou não.
    Como faço pra ver as temporadas anteriores.
    Nao tenho internet banda larga e o dvd original e muito caro.

    Responder

    1. Oi kelly,

      É um apelido e ela nem gosta dele, para faar a verdade.
      A FOX reapresenta as temporadas anteriores no começod a noite, se não me engano as 18h00, e nos domingos de manhã.

      Responder

Deixe uma resposta