Damages: Do You Regret Qhat We Did? (01×09) e Sort Like a Famile (01×10)

Poxa, nem fiz review de Do You Regret What We Did? e ele está longe de ser um episódio ruim de Damages. Na realidade, esses dois últimos exibidos aqui no Brasil estão longe de serem os piores, simplesmente porque nos deram uma série de respostas.

Em Do You Regret What We Did? o ritmo chegou até a ser meio alucinado, tipo piscou-perdeu. Foi um episódio que divide as águas: se você o assistiu, mesmo que tenha perdido todo o resto antes, você vai conseguir entender o final. Se você o perdeu, nem tente entender depois.

Descobrimos que David, na verdade, não chegou a ter um caso com Lyla, mas ela é que é uma maluca de marca maior, com direito a algumas ordens restritivas no currículo. É uma pena que Ellen, que é quem descobre isso, em certo ponto possa ter se deixado convencer do contrário. Até aqui vemos apenas Lyla aparecendo no escritório de Ellen, na maior cara de pau, e Ellen confrontando David e pedindo que ele se afaste da maluca.

Apesar de toda essa aparência de segurança, Ellen percebe que o noivado dela está em risco e resolve fazer uma pequena viagem com David. O erro dela é aceitar a casa de praia de Ellen, bem como o carro dela, para esse pequeno passeio. É como se Patty estivesse ali com eles e David sonhando com Patty mostra isso.

O principal avanço se refere a Ellen e Patty: sabemos que Patty passou pela casa de praia, mas ela não está lá quando Tom a procura. Sabemos que Patty está chorando, mas não sabemos o motivo. Sabemos que ela está maluca, bom, isso a gente já imaginava.

Ellen contou à Patty sobre o fim de seu noivado, momento em que Patty lhe oferece que ela fique no apartamento enquanto ela vai para a casa de praia. Neste mesmo momento Ellen pergunta para Patty se ela não se arrepende do que elas fizeram… Confesso: a essa altura do campeonato eu vou da crença de que Patty não é tão ruim assim para a crença de que ela é a própria filha do demônio em questão de segundos.

Do outro lado da história vemos a situação de Frobisher se complicar cada vez mais: Moore (que eu acho que é o verdadeiro vilão ou trabalha para ele) está frustrado com Frobisher não conseguir se livrar da confusão em que se enfiou; Fiske, que tem seus segredos para Frobisher (o caso com Greg, ter dado ações e a informação de venda para ele), também quer ver o fim de tudo, mas Frobisher insiste em não fazer um acordo, às vezes penso que, em sua deturpada mente, ele acredita que não fez nada de errado.

Gregory é mais idiota que se pensava e, após ter tido sucesso em desaparecer, quer mostrar para Kate seu arrependimento e não só aparece na casa da moça como ainda faz a besteira de ligar do telefone dela para Fiske, que passa a informação para Moore… E Gregory acaba morto, atropelado, a poucas quadras de lá, deixando para Kate um cheque de vários milhares de dólares. Mas, mais importante do que o cheque, é a fita deixada por ele no apartamento, gravada minutos antes de sua morte, na qual ele conta a sua participação nessa história toda.

Sabemos agora aonde está a solução dos problemas de Patty, o problema é que Kate não sabe da fita, deixada dentro da mala de Greg em sua casa. Outro ponto que me deixa nervosa é a aproximação de Ellen e Moore. Ela está se sentindo a mais esperta, e, em parte, está sendo, já que enxerga que ali pode existir mais do que a inocente ajuda ao caso, mas ela não enxerga o risco que está correndo nessa busca.

Sabemos, também que a morte de Greg é o que faltava acontecer para Patty colocar Ellen, essa peça de seu tabuleiro de jogo, fora de combate.

No episódio seguinte, Sort Like a Family (01×10), o que não conseguimos esquecer é Ellen finalmente confrontando Patty, e, o mais engraçado, é que coisa pior já tinha acontecido e ela havia mantido a calma e, do nada, ela explode. Foi aquela questão de pingo da água para transbordar o copo.

Ellen persegue as pistas lançadas por Moore com uma vontade absurda. Ela sabe que existe algo lá que eles não estão vendo. Mas alguém mais sabe disso, ou não estaria tirando fotos dos encontros dos dois. Eu não acho que isso tenha relação com Patty.

É Ellen que descobre as questões relacionadas às dúvidas quanto os interesses de Moore terem prejudicado as investigações da SEC (odeio quando colocam CVM nas legendas).

E é por estar segura do que está fazendo que ela finalmente confronta Patty. Ela consegue pistas de Moore, pistas que Patty ignorava. E Patty a critica por causa disso, algo que não combina com ela… Eu sempre tive a impressão que Patty não se importa muito em como as coisas chegam até ela, desde que ela tenha sucesso. Acredito que ela tenha agido dessa maneira mais em função de querer dispensar Ellen a qualquer custo.

Ellen sai da sala com toda a calma do mundo, mas deixa na portaria um relatório de suas descobertas para Patty… Mais um caso de recontratação do escritório (aquela ligação enquanto ela comemora seu desemprego no bar, com o nome Patty aparecendo na telinha do celular, foi bem típica)? Bem provável. E, talvez, seja aí que Patty começa a ver em Ellen ela mesmo.

Apesar de ser um episódio sem muitas respostas, e por isso irritante, esse episódio trouxe algo significativo: Tom visita o apartamento de Patty e lá encontra sinais de sangue em uma escultura. Tom irá entregar isso aos policiais? O que isso significa afinal? Quem teria limpado o apartamento o fez por ordens de Patty?

Na casa de praia Tom encontra sinais de luta, marcas na parede e um copo quebrado. Patty teria tido um ataque de fúria ou foi atacada? Nas cenas de Patty chorando em seu carro vemos que ali também existe sangue. Cara! Ainda bem que a temporada está acabando: EU PRECISO DE RESPOSTAS!

E vemos Patty colocando seus tentáculos cada vez mais longe: o casinho da esposa de Frobisher, um advogado de divórcios, é um amigo querido de Patty e, sem querer é claro, deu entrada no divórcio antes da data combinada com a esposa, bem no meio do depoimento de Frobisher para Patty, desestruturando a pouca confiança que ele havia adquirido com aquela técnica em preparação para júris.

E foi um show Patty relacionando o fracasso da empresa de Frobisher ao fracasso em um casamento, fazendo com que ele explodisse. Também destaco a cena em que Frobisher agradece à Fiske sua dedicação e sua amizade… Sem saber que o amigo pode ter dado à Patty a munição necessária para acabar com ele devido ao seu caso com Greg.

E o que foi aquele cara no apartamento de Patty? Que porteiro mais assustador!

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

6 Comentários


  1. o roteiro pode ser uma massaroca, mas glenn close merece todos os prêmios que ela levar pelo papel [acho que estou me repetindo, hehehe…]

    Responder

  2. Eu no principio de damages estava adorando, eu pensei q ia ser uma das minhas preferidas, mas depois fui cansando, e acabei a temporada ja farto dos episodios parados de damages, pq so acontecia alguma coisa no fim e no principio, de resto n valia nada 🙁 Passa no meu blog e dá a sua opiniao

    Responder

  3. Melhor nem assistir Lost, se um epidódio é irritante porque não te dá respostas, então…

    Esse Sort of Like a Family deve ser o episódio de entrada do Ted Danson ao EMMY, ele está brilhante na “entrevista/interrogatório”.

    Responder

  4. Graças a Deus falta pouco, para sabermos quem matou o David, porque está dificil de aguentar Damages…..muito enrolada viu affffffffffffffffffff 🙁

    Responder

  5. Não sabia disso Simone, agora entendo o porque de assistir tantas séries policiais, onde normalmente o caso se resolve no mesmo episódio…
    Mas eu adoro perguntas, as vezes mais que as respostas, então Damages e Lost são um prato cheio para mim.

    Responder

Deixe uma resposta