Law&Order: SVU – Paternity (09×09)

SVU 09×10

 

Não consigo entender o que está acontecendo com SVU nesta temporada. Anteriormente, muitas vezes, essa foi a franquia apontada como preferida por muitos (eu ainda prefiro Criminal Intent), e, em teoria, seria a mais promissora, mas a fórmula parece muito mais cansada, e cansativa, do que a da franquia original, com muito mais tempo de janela.

Tanto me sinto assim que não me animei a fazer o review de quase nenhum episódio que vi nessa nona temporada, mesmo esse, Paternity, talvez também não fosse citado, não fosse pela participação de Mark Valley, o eterno Brad de Boston Legal, e pelo nascimento dramático do primeiro filho de Elliot Stabler (antes eram só meninas).

O episódio começa bem, um menino sem nome encontrado nas ruas, sangue nas roupas, uma reviravolta quando descobrem o pai do menino, papel de Mark, e encontram a babá morta na cama do casal. Mais ainda quando descobrem a esposa sumida, que acaba sendo encontrada em um motel com o amante, não, ela não foi sequestrada.

O assassino da babá? Não tinha nada a ver com nada. Um namorado que a menina conheceu on line e não admitiu ser rejeitado. Ela era uma mórmon a espera do noivo que descobriu a vida fácil dos vários relacionamentos vazios, não podia dar mais errado.

Daí em diante eu não consigo concluir se eles se perderam, simplesmente, ou se por opção ficaram em cima do muro: o menino não é filho do marido e sim do amante, a mulher estava ainda casada por dinheiro, corre para pedir o divórcio, enquanto o bundão do amante quer conhecer o “filho”. Marido entra em crise e, mesmo com a promotora sendo extremamente didática ao explicar que o menino nasceu durante o casamento então o marido é o pai para fins legais, acaba por matar a esposa e quase se mata, sendo salvo no último instante por um Elliot que chegou a ter dúvidas sobre a paternidade do próprio filho devido a confusão.

Na realidade, o caso todo de assassinato seguido de suicídio acabou servindo para afastar Elliot da esposa na hora em que ela tem uma consulta médica, fazendo com que Olívia fique responsável por levá-la e sendo o carro das duas acertado bem no meio por um bêbado de plantão.

O que era para ser o ápice do episódio virou a coisa mais estranha nos último tempos:  com tanto bombeiro, paramédico e policial no local, Olívia é a única que consegue entrar no carro (sim, ela saiu toda ferida, mas o bando de gente presente deixa ela voltar) para segurar a mão de Kathy quando as contrações começam. Tá, eu sei que mais da metade do povo torce por um Elliot com a Olívia, mas não faço parte dessa torcida, e, ainda assim, achei isso muito, muito-muito, forçado.

O bebê nasce na ambulância (É um menino! Ieba!), Kathy desmaia, vem aquele corte de cena com Elliot entrando como louco no hospital, como se aquilo pudesse criar uma real expectativa sobre ela estar viva ou não, e um lindo bebê está no colo da linda mamãe. Elliot nem comemora e sai para o corredor, onde dá um abraço em Olívia. E vê ele colocando toda a tensão do dia, do caso, da dúvida sobre a paternidade, de não estar lá por sua esposa na hora do parto, do não saber o que estava acontecendo, tudo naquele abraço.

 SVU - Paternity (09×09)

Acho que é disso eu gosto, dessa amizade que os dois tem, dessa certeza de que o outro é um porto seguro para acreditar.  Eu acho que os dois chegaram àquele ponto em que não há mais espaço para o romance porque a amizade é grande demais, porque os dois conheçam demais os altos e baixos do outro. E porque um eventual relacionamento entre os dois não sobreviveria a pressão que Elliot colocaria sobre si mesmo por ter desistido de seu casamento, por não ter feito algo em que acreditava do fundo do coração. E que acreditava há tanto, tanto tempo, que não poderia estar errado.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

4 Comentários


  1. Si,
    Pensei a mesma coisa quando vi a Olivia entrando no carro novamente. Muito forçado. Especialmente quando é ela que tem que aplicar o soro.
    Também não acho que o Elliot e a Olivia devam ter um romance. A amizade deles é muito mais forte.
    Abraços,

    Responder

  2. Acho que vc não acompanha muito SVU, Elliot tem pelo menos um filho, que apareceu em mais de um episódio.
    Quanto a série estar chatinha, concordo e também prefiro “Criminal Intent”, mas não acho nenhum blog que faça comentários sobre a série.

    Responder

  3. Ivonete,

    É verdade, eu havia esquecido do pequeno Dickie. Acho que porque eles sempre mostram as meninas mais velhas, nem tanto o casal de gêmeos.

    Quanto a CI: eu faço reviews junto com a exibição aqui no Brasil, que começa na segunda semana de fevereiro neste ano.

    Beijos

    Responder

  4. Eu nunca consegui gostar muito de CI. O Vicent D’Onnofrio me incomoda profundamente. Adoro SVU, mas realmente, não é como nos velhos tempos. Eu decidi então ver tudo, desde o começo, através dos meios alternativos. Mas esse episódio eu vi, e concordo que o abraço foi o ponto alto.

    Responder

Deixe uma resposta