Cinema: A Garota Na Névoa

A Garota na Névoa (La Ragazza Nella Nebbia) possui todos os elementos que um filme de suspense precisa para nos manter presos à cadeira: um mistério aparentemente sem solução, um investigador em quem você não consegue confiar plenamente, um suspeito que em certos momentos parece obviamente culpado, em outros injustamente investigado. E, como bônus, uma virada final inesperada (surpreendente).

Baseado no romance de mesmo nome (ainda não publicado no Brasil), escrito pelo próprio cineasta Donato Carrisi, o filme se inicia logo após o súbito desaparecimento de Anna Lou, uma garota de 16 anos de uma pequena aldeia nas montanhas dos Alpes italianos, dois dias antes do Natal. A menina deixou sua casa a caminho da igreja, mas nunca chegou ao seu destino.

Com uma força policial despreparada para um tipo de crime como este, resta a todos acreditar que o enigmático detetive Vogel (Toni Servillo) descubra o que aconteceu. Acostumado (e apaixonado) pelo circo mediático que normalmente acompanha acontecimentos como esse, o detetive está se recuperando do golpe de ter seu caso mais famoso resultar não somente no acusado livre, mas em um processo de indenização por parte do estado de valor milionário.

O roteiro usa muito bem a dubiedade do investigador: ele usa o frenesi da mídia para conseguir mais recursos, para pressionar suspeitos e por vaidade. Seu método de investigação não é nada ortodoxo e a impressão inicial é de que ele será capaz de qualquer coisa para ter sucesso.

E isso fica mais interessante quando prestamos atenção ao fato de que ele mesmo nos conta sobre a investigação: o filme se inicia com Vogel sendo encontrado após um “acidente” e tendo de conversar com o psiquiatra local (interpretado por Jean Reno) sobre os acontecimentos que o levaram até ali.

A Garota Na Névoa não é um thriller policial comum: a atmosfera, fotografia, cortes e diálogos não são apressados ou impactantes. Em verdade sua história ganha vida por milhões de detalhes e, principalmente, pelo desenvolvimento de seus personagens. Um jogo entre a mente de Vogel e do suspeito principal do crime em um clima um tanto claustrofóbico – a cidade tem apenas uma estrada de entrada e saída, à sua volta neve e altitude, seus moradores silenciosos e soturnos.

Ainda que um pouco longo, o filme tem pouco mais de duas horas de duração, ele não é cansativo e, como eu antecipei no início do texto: seu final surpreendente é perfeito.

A Garota na Névoa chega aos cinemas  de São Paulo, Porto Alegre, Salvador, Maceió e Recife nesta quinta-feira, dia 08 de novembro, com distribuição A2 Filmes e Mares Filmes, e tem estreia prevista para as próximas semanas nas demais praças.

Título Original: La Ragazza Nella Nebbia
Direção: Donato Carrisi
Roteiro: Baseado no romance de Donato Carrisi
Elenco: Toni Servillo, Alessio Boni, Lorenzo Richelmy
Duração: 128 minutos
Distribuição: A2 Filmes | Mares Filmes

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *