Globoplay estreia The Good Doctor nesta quarta, 22 de agosto

Ao que parece a Globo também resolveu brigar pelo mercado crescente do streaming no Brasil: seu aplicativo Globoplay figura entre os mais baixados nas lojas Apple e Google, sendo utilizado pelos fãs do canal de TV para acompanhar suas novelas, assistir aos seus programas jornalísticos ou não desgrudar das edições do BBB.

Em sua nova fase, o aplicativo passa a brigar pelos fãs de seriados estreando sucessos internacionais de forma exclusiva, mediante assinatura (o aplicativo conta com alguns conteúdos de acesso gratuito, mas o conteúdo internacional ficará disponível apenas para assinantes).

E a primeira estreia acontece nesta quarta, dia 22 de agosto, com a disponibilização dos 18 episódios da 1ª temporada de The Good Doctor, do mesmo produtor de House e que se tornou um fenômeno de audiência nos EUA (canal ABC), com opção de áudio e legenda.

A série é estrelada pelo ótimo Freddie Highmore que, depois de arrasar como Norman Bates na série Bates Motel, interpreta Shaun Murphy, um jovem médico recém saído da faculdade e que enfrenta os desafios da residência médica e mais os desafios pessoais de um rapaz com autismo e síndrome de savant.

Sua entrada no programa de residência de um prestigiado hospital porque este é presidido por Dr. Aaron Glassman (vivido pelo excelente Richard Schiff), que praticamente criou Shaun depois que este passou por problemas na infância. Claro que o fato dos atendentes “terem de engolir” a chegada do rapaz adiciona mais problemas: os doutores Neil Melendez (Nicholas Gonzalez) e Marcus Andrews (Hill Harper) não concordam com a ideia de ter um autista entre os residentes, como Andrews ainda quer se aproveitar da situação para tomar a presidência do hospital (se Shaun fracassar, Glassman perde seu cargo).

Um dos maiores méritos da série é justamente mostrar quanto preconceito Shaun sofre por sua posição, mas que isso não impede que ele acerte mais do que erre. O roteiro também não doura a pílula ao mostrar as dificuldades do rapaz: ele erra quase tanto quando acerta, só que seus erros quase sempre são relacionados a dificuldade de perceber sutilezas das relações humanas (algumas difíceis até por quem se acha um az das relações humanas).

Além disso, The Good Doctor tem algo que eu adoro em uma série: o roteiro desenvolve seus personagens. Shaun não é perdoado de seus erros por ser um gênio em muitos casos, mas seus colegas começam a enxergar não somente essa genialidade como ainda começam a enxergar como ele é divertido e bom. Ah, Shaun também aprenderá muito longe da bolha da faculdade onde se sair bem em provas e exames importava mais que interagir com pessoas.

Sim, eu sou fã da série e recomendo muito.

Para atrair o público do canal para o novo serviço do aplicativo, a Globo fará uma exibição especial dos dois primeiros episódios de The Good Doctor como um longa-metragem no Tela Quente do dia 27 de agosto.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

9 Comentários


  1. Depois de muitos anos – e bota anos nisso – irei assistir Tela Quenta !

    Responder

  2. Será que vai ter opção de legenda no streaming, ou vai ser só dublado o seriado?

    Responder

  3. A GloboPlay oferece 7 dias gratuito, então será mais que razoável pra assistir de graça os 18 episódios \o/\o/

    Responder

  4. Gnt, não tem legenda e o áudio em inglês … faz como ? Kkkkk meu inglês não é tão bom assim kkkkkk

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *