Cinema: A Festa

Um retrato sem cores de como um momento de celebração pode se tornar um verdadeiro desastre em apenas alguns minutos.

Eu poderia dizer que A Festa, que chega aos cinemas nesta quinta, dia 26 de julho, é isso. Ou, ainda, uma pequena comédia trágica da vida como ela é.

O filme da diretora e roteirista Sally Potter é um pequeno tesouro filmado em preto e branco em tempo real, com um elenco afiado e abordando uma situação que poderia ser encontrada na vida de qualquer pessoa de uma maneira única.

Janet (Kristin Scott Thomas) quer celebrar ter conseguido um aguardado cargo no ministério da saúde com seu marido, Bill, um acadêmico que abdicou de várias coisas pela carreira política da esposa, e seus amigos mais chegados em sua pequena casa em Londres.

A grande verdade é que isso é tudo que sabemos durante boa parte do filme – isso e o fato de que Janet esconde um segredo e que Bill adora discos de vinil.

Os convidados chegam: a melhor amiga April e seu marido Gottfried, ela toda sensata e racional, ele um alternativo que destoa do conjunto; Jinny e Martha, a amiga de faculdade de Bill e sua namorada; e Tom, o financista mais novo e bonitão, cuja esposa Marianne chegará atrasada.

Inevitavelmente, antes que o jantar seja servido, o ambiente otimista se despedaçará, já que segredos, ressentimentos, medos e posições políticas começam a ser revelados nesta ambiente hostil. Sem dúvida, depois desta noite, as coisas nunca mais serão as mesmas.

O tom ganha corpo de forma urgente, os sorrisos vão ficando mais nervosos e os problemas mais aparentes.

O fato de estarmos restritos à três cenários (a cozinha, a sala e o banheiro da casa) serve para nos transmitir uma sensação de confinamento que está sendo sentida pelos convidados – e é nítido que alguns deles, e de nós, adorariam fugir dali.

Sim, A Festa causa desconforto, talvez porque qualquer um de nós pode se imaginar como um daqueles personagens. Ao mesmo tempo,  é impossível não rir, principalmente quando os comentários mais maldosos acontecem e April é boa demais nisso, não que os demais personagens também não tenham momentos memoráveis. E momentos memoráveis não somente para problemas do cotidiano, mas também sobre política, feminismo e saúde pública (porque, no final das contas, tudo isso faz parte da nossa vida todos os dias).

Título Original: The Party
Direção: Sally Potter
Roteiro: Sally Potter, Walter Donohue
Elenco: Timothy Spall, Kristin Scott Thomas, Patricia Clarkson, Cherry Jones, Emily Mortimer, Cillian Murphy e Bruno Ganz
Distribuição: A2 Filmes | Mares Filmes

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Deixe seu Comentário