Cinema: Por Trás de Seus Olhos

Gina (Blake Lively) e o marido James (Jason Clarke) têm um casamento quase perfeito: os dois são bonitos e se amam, James acaba de ser promovido e eles tem uma vida confortável, a primeira vista a única coisa que falta aos dois é um bebê desejado ardentemente.

O relacionamento afetivo de ambos sobreviveu a qualquer dificuldade que poderia decorrer do fato de Gina ser cega – ela ficou cega ainda criança em um acidente automobilístico que matou seus pais. Na verdade, o relacionamento dos dois parece fortalecido pela forma como James se tornou, de alguma forma, os olhos da esposa.

A possibilidade de que Gina possa voltar a enxergar após uma cirurgia em Bangkok, cidade onde moram, parece, então, caída do céu.

Só que a recuperação da visão trará uma independência para Gina que não parece caber na rotina que eles criaram com tamanho cuidado. Ou que foi criada por James.

Dia a dia ela descobre coisas e, quando são referentes a seu casamento, nem todas são belas ou divertidas. A dificuldade de James em lidar com essa “nova esposa” fica tão aparente que o incômodo presente transborda da tela para quem assiste ao filme.

E torna impossível não refletir: será que, ainda que seus demais sentidos sejam aguçados, algumas coisas na relação estavam longe de ser o que Gina percebia? O quanto ficou escondido pela sombra?

Os acertos do drama que tem direção de Marc Forster (de Guerra Mundial Z e 007 – Quanum of Solace) são muitos, começando pela escalação dos protagonistas: Blake Lively está soberba, transmite desde a fragilidade de sua condição ao brilho das descobertas de um mundo novo de forma que é impossível não se apegar à personagem. Já Jason Clarke (Everest e O Planeta dos Macacos: O Confronto) consegue desfilar as diferentes camadas de seu personagem pouco a pouco, de tal forma que você não tem certeza se é amor ou se existe algo de errado com ele.

Por Trás de Seus Olhos (All I See is You), lançamento da Paris Filmes, estreia nos cinemas brasileiros nesta quinta, dia 22 de março, ainda conta com Danny Huston no papel do médico de Gina e é um belo exemplo de como a sutileza pode ser usada para contar uma ótima história.

 

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Deixe seu Comentário