Cinema: O Rei do Show

A expectativa não era pequena: desde seu primeiro trailer, O Rei do Show prometia ser um dos melhores filmes do ano. Se falava das músicas que haviam sido divulgadas e os vídeos no YouTube dos ensaios sempre apareciam entre os recomendados. Então foi uma decisão natural aproveitar as sessões antecipadas e assistir ao filme ontem, antes da estréia oficial nesta quinta dia 28 de dezembro.

E isso significou encerrar o ano da melhor forma possível. Se P.T. Barnum se intitulava “o maior showman” do mundo, O Rei do Show é um espetáculo: números musicais de encher os olhos, coreografias contagiantes, músicas emocionantes, fotografia caprichada, atuações impecáveis em uma história que te faz deixar a sala de cinema sentindo-se feliz.

Para terem uma ideia, na sessão de ontem no Itaú Cinemas, o aplauso da platéia, quando os créditos começaram, foi espontâneo e contagiante. Bem como as vozes dizendo que assistiriam de novo ao filme agora mesmo.

O roteiro, inspirado na vida real de P.T. Barnum, ficou a cargo de Jenny Bicks (de Rio 2 e Big C) e Bill Condon (Chicago e Dreamgirls). Ainda que tenha romantizado a figura em quem se inspira, Barnum teria sido bem mais mesquinho na vida real, a história flui de forma natural e dá oportunidade para permite que cada personagem brilhe.

Nas telas Barnum ganhou o rosto de Hugh Jackman e este não poderia estar mais natural de seu papel, ainda que possa dever um pouco por não ter uma voz das mais bonitas, Jackman, que já recebeu prêmios por sua atuação no teatro musical, não desafina e compensa qualquer falha com seu carisma e performance.

No elenco, Zac Efron e Zendaya também se sentem em casa, afinal foram cria dos musicais da Disney, e tem muita química na tela. Além disso, é preciso valorizar o esforço que os dois atores fizeram para dar conta das cenas de trapézio, já que o uso de dublês foi o mínimo possível por decisão do diretor, Michael Gracey.

Gracey que repete aqui a parceria de sucesso de La La Land com os autores Benj Pasek e Justin Paul, que escreveram todas as músicas – e não, para mim eles terem feito La La Land não contava pontos a favor, já que eu havia achado o filme que quase levou o Oscar em 2017 um tédio do começo ao fim, ou seja, se você também não gostou, pode deixar esse detalhe de lado.

Para quem escapou dos trailers e sinopses até aqui, O Rei do Show conta a história de P.J. Branum, filho de um alfaiate, que sempre teve uma imaginação fértil e paixão pelas artes. Já adulto ele aproveita uma oportunidade para criar seu museu de curiosidades, mas não vê sucesso nisso. Até que resolve tornar o seu museu em um show de pessoas únicas, consideradas aberrações pela maior parte da população.

Se o sucesso de público é uma realidade, ele ainda é perseguido por seu desejo de ser reconhecido pela classe rica de Nova Iorque e tenta novos vôos.

A esposa de P.T. é interpretada pela sempre linda Michelle Willians, que também se sai muito bem nos números musicais.

 

Para você ter uma ideia de quão emocionante o filme é, dá uma olhadinha neste vídeo e neste aqui. Depois me conta. Eu confesso que cheguei em casa e já corri baixar a trilha sonora no Spotify e me arrepio a cada vez que ouço This Is Me, de longe a minha favorita.

 

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Deixe seu Comentário