Chicago PD: Home (5×05)

Quando o crime envolve crianças eu e Voight perdemos a linha, não tem jeito. Eu nem consigo imaginar como eles se sentiram quando abriram aquele barraco e encontraram o menino preso e os outros dois mortos.

Mas com certeza consigo imaginar a vontade que todos sentiram de colocar na cadeia a mulher que entregou o menino a um casal de desconhecidos simplesmente porque “as coisas estavam muito difíceis”. Após inocentar o pai adotivo do menino, o roteiro não retoma o assunto, até porque eles já tinham visto coisa pior, mas eu gostaria de vê-la sozinha.

A verdade é que todo mundo passou o episódio com os nervos a flor da pele, não somente por conta do caso, mas porque as coisas complicaram para os irmãos de Atwater, como nós já imaginávamos que aconteceriam. O policial acabou tomando a melhor decisão ao mandá-los para o Texas, mas não é o tipo de decisão que é fácil de ser tomado, menos ainda de se lidar depois.

Senti apenas falta de Kim ao lado dele depois disso, foi ótimo ver, ao longo do episódio, o foco na amizade dos dois, afinal eles começaram como parceiros, e por isso mesmo eu esperava que ela tomasse aquela cerveja com ele ao final do dia. Até na companhia de Voight, porque não.

E, falando em Voight: ao que parece ele superou a desconfiança de Antonio ao colocar em pratos limpos contando o que sabia. Espero mesmo que Antonio esteja sendo sincero.

P.S. Voight garantindo que Clyde terá o inferno na cadeia, quem de nós pode criticar?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

5 Comentários


  1. EU ACHEI QUE O GAROTINHO SOBREVIVENTE É QUE HAVIA MATADO OS DEMAIS!

    Responder

  2. Que crueldade se livrar assim de uma criança …. credo ! nem com animal sou capaz de tal atitude.

    Me lembro de ter visto caso semelhante, de crianças adotadas e depois passada a diante, só não sei ao certo onde, são tantas séries.

    O Voight vira fera num caso assim, que tristeza para o Atwater a situação estava mesmo tendendo para isso.

    Responder

    1. Menina, eu sempre me assusto com esses casos por saber que são inspirados na vida real. Como alguém se livra assim de uma criança ou bicho?

      Responder

      1. Cleide, acho que foi em LOSVU. A mãe entregou uma criança autista e os bandidos obrigavam as crianças a fazerem filmes adultos. Todos as crianças tinham necessidades especiais. Muito triste.

        Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *