Grey’s Anatomy: Get Off on the Pain (14×02)

Get Off on the Pain foi tão bom, mas tão bom, que é impossível não ficar com medo do que eu vou sofrer nessa temporada ainda, minha gente!!

Vimos Meredith brilhar com sua operação de transplante de abdômen (sim, existe e tem um departamento inteiro dentro do Hospital Duke e do Hospital de Stanford).  Fiquei de novo pensando na Teddy dando seu piti sem motivo no corredor no episódio passado e na falta de noção dele ao ver Meredith encontrando a solução que permitirá que Megan se recupere mais rápido e com menos risco e possa voltar para seu filho.

Ainda que eu ache que o bom mesmo seria encontrarem uma forma de trazê-lo para perto dela, mas parece que as coisas estão realmente complicadas – imaginei que Owen, Teddy e Nathan com seu histórico no exército poderia ter chance de conseguir isso.

Por achar que ela vai partir fica aquela pulga atrás de orelha com a questão de Nathan e Meredith: acho que Nathan ama sim Megan e quer ficar com ela, então eu preferiria que ela tivesse aceito o pedido dele. Ou pelo menos, ela poderia não ter aceito dizendo para ele que não tem como fazer planos considerando que vai voltar para seu filho e não sabe o que acontecerá depois disso. Dizer que é por causa da Meredith? Certa foi a Mer que simplesmente virou de costas e deixou os dois com seus dramas ara trás.

Falando em drama: Amelia. Sério, Shonda? Toda a “insuportabilidade” dela ser culpa de um tumor? Não consigo comprar essa justificativa, até porque isso exigiria comprar que até mesmo o casamento dela com Owen é culpa do tumor e não devia ter acontecido. Do lado bom, se esse for o caminho escolhido pela série significa que em breve isso acaba. Ainda que eu não saiba quem vai conseguir dar um jeito em um tumor daquele tamanho.

Acho bom salientar que a esta altura estou achando a Amelia muito azarada: viu o pai morrer na sua frente, se viciou em drogas, viu o namorado morrer, perdeu o filho, o irmão mais velho morreu e agora tem um tumor enorme no cérebro. Quase a perdoo por ser uma mala sem alça.

Do outro lado: Bailey. Gente, essa moça está on fire!! Achei super válida a reflexão dela sobre o raio daqueles sapatos de salto (eu já abandonei os meus há muito tempo, ainda que me recuse a usar crocs) e adorei quando ela dá uma lição em Ben sobre ele não poder dizer como Jo se sentia. Sim, principalmente porque depois ela foi e disse exatamente o que ele estava dizendo, mas de uma forma diferente.

Falando em Jo, eu ri com o Alex. Não, não passei a gostar da personagem, mas acho que estava na hora de passarmos para novos problemas, considerando que Alex ainda gosta dela e ele dela. Além disso, considerei o fato de Bailey e Ben falarem daquela forma sobre o Alex como um pedido de desculpas dos roteiristas por terem o sacaneado no ano passado e ao mesmo tempo não minimizarem a dor da Jo.

Não deve ter sido fácil para ela como se sentiu após Alex atacar DeLuca, mas, como eu disse já naquela época, o que ele fez foi defendê-la, acreditando que ela estava sendo atacada. Ele exagerou? Sim. Mas ele nunca foi um vilão.

Finalmente, mas não menos importante: Maggie e Richard. A gente sabe o quanto ele queria ter tido um filho e a forma como ele sempre considerou Meredith desta forma, mas eu fiquei pensando em quanto ele deve ficar feliz em ver traços seus em Maggie. Gostaria de ver mais interação entre os dois (podiam ter gasto tempo com isso no passado ao invés de fazê-la focar em um interesse amoroso para a moça).

P.S. A irmã do DeLuca é uma graça. Adoro mulheres bem resolvidas. Será que ela fica bastante tempo ainda?

P.S. do P.S. Gente, que estudantes mais incompetentes!! Como assim não saber que um corpo de três dias não serve para transplantes? E querer transplantar pele de um homem para uma mulher? Sei que o objetivo era ter um alívio cômico, mas foi exagerado demais.

P.S. do P.S. do P.S. Ao que parece chegamos ao fim da linha para April e Jackson também. Thanks God!

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Uma das minhas narrações favoritas.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *