Legends Of Tomorrow: Phone Home (3×04)

Quem já escolheu o episódio favorito da temporada coloca o dedo aqui!! Pode ser até o preferido da série, ou no mínimo um dos favoritos: Phone Home teve uma história deliciosa, muitas, MUITAS, referências legais, um ET para lá de gracinha e deixou de lado a parte que anda mais me incomodando (essa coisa do grupo ser retratado como um bando de atrapalhados com poderes).

E eu acho que todo mundo gostou do episódio, mesmo quem não curte o Ray Palmer – sei que muita gente não gosta do personagem. Ou para quem não curtia: como não gostar da versão mini do herói e toda a sua nerdice?

Além disso, quem diria, Zari ajudou bastante para que as coisas funcionasse: Ray quer desesperadamente que a”forasteira” se sinta bem no grupo, algo com a cara dele, e de repente vê a possibilidade de que ele nem faça mais parte do grupo porque teria morrido aos oito anos de idade.

A volta ao passado nos mostra que o constante otimismo do personagem vai seu salva vidas em uma infância solitária. E para um garoto tão sozinho a possibilidade de uma amigo, mesmo vindo do espaço, é algo tentador demais. Todas as cenas do pequeno Ray (um achado) e o pequeno dominador foram muito fofas – ainda pensando se a favorita é a dos dois deitados no chão assistindo a Dançando na Chuva ou se quando eles estão viajando de bicicleta pelos céus.

Eu já falei que ET foi o primeiro filme que assisti em um cinema? Imaginem.

Assim como no filme, o grupo descobre que o verdadeiro inimigo não é o pequeno alienígena, mas o governo e as coisas ficam bem mais complicadas antes de tudo ser resolvido. O fato do pequeno salvar Ray, pequeno Ray e Zari usando a música do filme que assistiu com seu melhor amigo só melhora tudo.

Foi impossível não ficar pensando se isso de alguma forma não será explorado no futuro, afinal o laço de amizade criado aqui não será esquecido e eu adoraria ver um encontro entre Ray e um já adulto dominador em algum situação de risco em que isso fizesse toda a diferença.

De bônus ainda tivemos Nate dando em cima da mãe do Ray e sendo surpreendido pela mamãe dominador disfarçada, e Mick, Jax e Stein “emprestando” o cavaleiro para ver o nascimento da neta deste último. Sério, não consigo achar um defeito sequer no episódio todo.

Tá, talvez as lendas fazendo “doces ou gostosuras” com o pequeno Ray seja o meu momento mais favorito em um episódio favorito.

P.S. Como assim FDA proibiu doces? Não quero esse futuro não, afffff.

P.S. do P.S. Além de ET e Cantando na Chuva rolou De Volta Para o Futuro, Caça Fantasmas, Um Violinista no Telhado, Billy Joel e Alien.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Nas segundas fico esgotada emocionalmente após Gothan (é uma série repleta de vilões sádicos e loucos), depois começa Legends, que aquece o coração, fala de amizade. Fiquei muito emocionada com esse episódio, a cena de ET, me remeteu a minha infância/adolescência.
    Também acho que seria muito legal se o Ray adulto encontrasse com o dominador no futuro.
    Esse episódio me lembrou muito a 2.temporada de Stranger Things. Aqueles garotos (as) poderiam ser Legends.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *