NCIS New orleans: NOLA Confidential (3×20)

Olha, basta mexer um pouquinho para achar o nome do Hamilton e tudo que é caso que o pessoal do NCIS investiga. O que me leva a pensar por que é que demoraram tanto a esbarra nisso: tráfico de drogas, assassinato, exploração imobiliária, jogo ilegal. Diga um crime e você encontrará o Hamilton ligado no máximo por três graus de separação – nem precisamos dos seis da teoria oficial.

Desta vez tráfico de drogas mais corrupção policial.

E dessa vez quase levando para o fundo do poço o antigo parceiro de LaSalle na polícia – que na verdade já estava fazendo um ótimo trabalho em se afundar sozinho.

Foi bom ver na tela Jeremy Ratchford, que desde Cold Case andou fazendo várias participações em séries no papel de bandido. Eu na verdade achei que o Marino deste episódio poderia ser um futuro possível para o antigo personagem dele.

Voltando ao crime da noite: o quão fácil é roubar drogas antes de serem destruídas, não é mesmo? Eu fico pensando aqui no Brasil, em que a polícia com certeza não recebe o bastante para encarar o crime e no quão seria fácil convencer alguém a desviar algo oferecendo dinheiro que tornaria sua vida mais fácil.

E, ainda que eu tenha falado ali em cima da facilidade com que eles ligam Hamilton a todos os casos atualmente, deu bastante trabalho para que a equipe não acabasse deixando Marino como culpado. Na verdade, ao tentarem matar o policial para não deixarem pontas soltas, eles acabaram apenas complicando mais as coisas.

Para todos, já que Pride acabou sem nenhuma testemunha para poder ir atrás do prefeito – aquela cena um tanto mal feita, afinal do jeito que aconteceu os muitos tiros de Marino no policial não eram necessários e acaba ficando claro que foi feito de propósito apenas para esticarmos a investigação por mais alguns episódios.

Agora sem a ajuda de Rita. Alguém me explica porque arrumar uma namorada para o King para mandá-la embora da cidade em dois episódios? Eu gostei bem dos dois juntos e já nem estava gostando muito dela investigando Hamilton por conta própria – e o medo dela acabar morrendo? – quanto mais dela aceitando um emprego em Washington. Do outro lado, ela longe pelo menos não vai morrer quando as coisas esquentarem, não é verdade?

Finalmente, mas não menos importante: o que foi o #SebastianEIncrivel? Eu imaginava que era um placebo, mas isso não diminuiu a diversão de ver nosso novato todo soltinho se sentindo um super herói. Na verdade a dupla dele com Gregorio acabou por tornar a agente um pouquinho mais suportável.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *