Documentário Aqualoucos lava a alma

Quando você olha para esta imagem aí de cima, o que você pensa? Ou melhor, o que você sente? Se você soltou um sorriso involuntário, eu te entendo. É fácil imaginar que esses “moços” aí são alegres, brincalhões e aproveitaram a vida, não é mesmo? E eles aproveitaram. Ou melhor: acho que eles continham aproveitando.

Entre os anos 50 e 80, esse grupo de “atletas-palhaços” atraía multidões para o Clube Tietê, famoso por suas piscinas enormes e trampolim alto, isso ao lado do hoje maltratado Rio Tietê, naquela época as pessoas nadavam nele, clube que marcava o final da chamada zona norte da cidade de São Paulo. Além das apresentações aos finais de semana, Os Aqualoucos eram responsáveis por encerrar as comemorações de carnaval após o último baile da terça-feira.

O grupo de jovens apaixonados pelo desafio de saltar em direção à água, de altas plataformas, trampolim e até mesmo helicóptero, ganhou um documentário homônimo, que imerge nas lembranças de seus antigos membros e fãs. Com estreia agendada para esta quinta-feira, dia 9 de novembro, a produção apresenta os saltos com palhaçadas, que marcaram gerações de brasileiros, sob uma perspectiva singular de quem vivenciou cada estripulia.

Com roteiro e direção de Victor Ribeiro, filho de um dos Aqualoucos originais, o documentário reúne depoimentos do bonachão Fiore, idealizador do grupo, que ainda se aventura na prancha, aos 84 anos de idade. Manolo, conhecido como o mais louco do grupo, reconta suas aventuras, como o dia em que saltou de um helicóptero a 48 metros de altura – apesar dos protestos dos colegas – e acabou entrando no livro dos recordes.

Entre cenas do passado, com o verdadeiro efeito envelhecido que hoje colocamos em nossas fotos e vídeos usando filtros digitais, e os depoimentos destes senhores aí da foto, não há como você não sair da cadeira com um sorriso no rosto e um tanto nostálgico – mesmo que você, como eu, não tenha podido conhecer o Tietê ainda limpo ou assistido ao grupo. Mais que tudo é um retrato sentimental, seja pelo fato de Victor Ribeiro ter essa ligação tão pessoal com o tema de seu filme, seja porque você consegue enxergar nestes homens de 65 a 85 anos um brilho nos olhos por ter realizado seus sonhos que muitos mais jovens não tem.

O longa-metragem da Paris Entretenimento tem coprodução Globo Filmes e GloboNews e distribuição nacional Paris Filmes e Downtown Filmes e você definitivamente devia assistir

Ficha Técnica
Direção:
 Victor Ribeiro
Roteiro: Victor Ribeiro, Mirna Nogueira, Bia Crespo, Henry Grazinolli, Thiago Iacocca
Pesquisa: Thiago Iacocca, Flavia Salvador
Direção de Fotografia: Felipe Hermini
Edição: Ricardo Farias, Victor Ribeiro
Trilha Sonora: Grand Bazaar
Finalização: Karina Vanes, Geovanne Salomoni
Ilustrações: João Bizarro
Colorista: Daniel Mendes
Supervisão de Edição de Som: Miriam Biderman, ABC
Mixagem: Toco Cerqueira
Som Direto: Fernando Russo
Desenho de Som: Ricardo Reis, ABC
Produção Executiva: Renata Rezende, Mariana Marcondes
Produção: Sandi Adamiu, Marcio Fraccaroli, André Fraccaroli

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *