Legends Of Tomorrow: Freakshow (3×02)

Hummm, gostar do episódio eu gostei, mas confesso que o meu neurônio da coerência está aqui me cutucando enquanto eu escrevo para que eu diga a vocês que: se o humor e o fato de não se levar a sério sempre foram as melhores características de Legends Of Tomorrow, o fato do grupo “voltar a trás” não me deixa feliz. A gente sabe o quanto eles demoraram a realmente agir como um time e funcionar usando o que era mais forte em cada um, então é um tanto frustrante vê-los transformados em um bando de trapalhões.

Ainda que isso funcione muito bem quando eles “são sequestrados pelo circo”.

Em Freakshow a gente riu menos pelas situações criadas ou pelas tiradas dos personagens e mais, bem, deles.

Outra coisa que não ajudou muito foi a história de Amaya: ainda que a explicação de ver sua neta atuando na cidade tenha tocado seu coração, a forma como ela deixou o presente para retornar e o fato de Rip ter dito que as mudanças ainda não estavam consolidadas não me convenceram. Aqui com os meus botões eu só consigo pensar: a gente não faz ideia de como a vida toda dela foi, como ter certeza de que a neta dela não estava ali porque sua vida foi diferente? Ela poderia voltar ao passado com Nate ou ela poderia voltar ao passado grávida.

Além do mais, se a gente está tendo de lidar com César no meio de uma festa de faculdade e com gente do futuro em um circo do passado, bem, não dá para ter certeza de absolutamente nada a esta altura.

Mas o episódio não teve só coisas ruins, se não eu nem teria gostado dele, não é mesmo? Nate enchendo a cara por dor de cotovelo e dando com a língua nos dentes para o povo do circo é muito plausível – na verdade eu estranho o fato deles não falarem o que não devem mais vezes – e Stein como um palhaço fora de época e Mike salvando o dia – MELHOR PERSONAGEM – foram ótimos.

A impressão final que fiquei é que estão forçando a barra na falta de sincronia do grupo e em suas trapalhadas para comprarmos de outra maneira aquela que parece ser a grande questão da temporada: algo está realmente ameaçando o tempo, o pessoal do Rip não tem como resolver e ele acha que as lendas podem, porém as amostras dos dois episódios fazem com que ninguém seja convencido disso.

E aí é provável que o grupo mostre que são sim heróis de verdade.

P.S. Stein disse que não colocaria os pés no Titanic por não confiar em quem o construiu… Bem, Victor Graber fez justamente o construtor do navio no filme Titanic (sim, eu sei, você só lembrava da porta).

P.S. do P.S. O tigre de bengala em miniatura foi uma das coisas mais fofas da televisão nestes últimos tempos.

P.S. do P.S. do P.S. Afff, me irritei muito com a briga da Sharp e Sara. Primeiro que não consigo crer que a Sara, da Liga dos Assassinos, não ia chutar a bunda daquela moça, segundo porque no final acho que as duas vão acabar ficando juntas e esse drama é desnecessário.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Eu morro de rir com as referências, essa do Stein foi de chorar de tanto rir, e ainda teve o Zane que foi o vilão em Titanic.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *