Bicho de estimação não é brinquedo e a COBASI dará 32 toneladas de ração para 16 ONGs

A gente vê esse título sempre que se aproxima uma data como o Dia das Crianças nesta semana, não é verdade? Bom, se ela continua se repetindo é porque o assunto ainda não foi resolvido.

Semana passada eu, que fujo de briga, acabei arrumando uma com um vizinho. Bem, nem vizinho direito é, o senhor em questão mora em um prédio que fica atrás do meu, então da minha sacada eu vejo a sacada dele, ainda que na diagonal.

O senhor em questão comprou um filhote de weimaraner. Como podem imaginar o filhote é um fofo, todo cinza e pulante. E chorão. Chorava o dia todo em sua primeira semana em casa. Como os prédios formam um corredor, a sensação era que o cachorrinho estava chorando na minha sacada – o que deixava a Tequila também bem estressada.

Um pouquinho de observação e o motivo de tanto choro foi explicado: o cachorro passava o tempo todo trancado na sacada enquanto as pessoas da casa iam e vinham pela sala.

Informação importante: se morar em um apartamento e resolver ter um cão, saiba que não dá para evitar que ele anda pelos ambientes, suba no sofá ou na sua cama.

Após 15 dias da situação, comecei passando pela portaria do prédio com a Tequila e falando com os porteiros. Subi um tom, consegui o telefone da portaria e passei a ligar lá procurando pelo síndico e pelo zelador. Ao ouvir do porteiro que o morador disse que “não estava judiando do cachorro e que eu posso denunciar se eu quiser que ele vai continuar chorando” resolvi me informar sobre a denúncia, que inicialmente nem ia fazer.

Publiquei no grupo do bairro no Facebook o meu caso e recebi muito apoio e muitas, MUITAS, indicações sobre como poderia não só denunciar o dono como o próprio condomínio, co-responsável pelo barulho. Vejam que na verdade eu não estava reclamando por causa do barulho, mas pelo absurdo do cachorrinho preso em uma sacada, mas dificilmente uma denúncia por maus-tratos daria resultado, já que ele está sendo bem alimentado e tem um teto e não está com uma corrente no pescoço, o barulho se tornou a forma de eu reclamar da situação com alguma efetividade.

Desconfio que o morador em questão – ou algum amigo ou o síndico do prédio descobrindo que seria co-responsável – leu minha postagem porque mais ou menos uma hora depois dos vários conselhos que recebi a porta da sacada para a sala foi aberta e desde então toda vez que ele chora após ser preso logo alguém o resgata da situação.

Aprendi duas coisas com isso: não podemos desistir de reclamar e grupos de bairro funcionam mesmo em uma cidade enorme como São Paulo.

E vim aqui contar minha história porque recebi hoje do pessoal do Adotar É Tudo de Bom da PEDIGREE® dicas antes de você fazer como meu vizinho e escolher um bichinho pensando apenas nas suas necessidades. Abaixo as dicas, com meus pitacos:

1)      Quanto menor é a casa, menor deve ser o cão. Cachorros grandes, em um ambiente pequeno, podem ter problemas de adaptação. Meu pitaco: mas se o amor é grande, é possível sim, só lembre que será preciso sair mais vezes com ele para que ele gaste energia e não destrua alguma coisa.

2)      Antes de adquirir um animal, importante considerar o tempo médio de vida que é de 12 anos. Pergunte à família se todos estão de acordo, se há recursos necessários para mantê-lo e verifique quem cuidará dele nas férias ou em feriados prolongados. Não faça nada por impulso.

3)      Antes de adotar ou adquirir, pesquise sobre o animal e veja se ele é compatível com o seu estilo de vida e perfil. Meu pitaco: gatos ficam alguns dias sozinhos, desde que tenham comida, água e caixas de areia a disposição, e é mais fácil arrumar alguém que possa ir até sua casa para trocar água e colocar mais comida do que um lugar para deixar seu cão.

4)      Caso você já tenha outros cães em casa, apresente o novo morador de forma gradual e fique sempre atento à convivência. Meu pitaco: é legal estar por perto nas apresentações, então adote o novo bichinho em uma sexta, por exemplo, assim terá o final de semana para ficar por perto.

5)      Mantenha o animal sempre dentro de casa, jamais solto na rua. E na hora do passeio, leve-o com uma coleira ou guia. Meu pitaco: NUNCA deixe-o sem coleira fora de casa, já vi cães correrem para a rua por um susto ou atrás de motos, na melhor das hipóteses assustando bastante seus donos. E sempre coloque seu telefone na coleira.

6)      Evite as crias indesejadas. Castre machos e fêmeas. A castração é a única medida definitiva no controle da procriação e não tem contraindicações. Meu pitaco: a castração também ajuda a evitar doenças decorrentes de vários cios sem gravidez.

7)      Cachorro precisa de alimentação de qualidade e muita água fresca e limpa. Meu pitaco: evite rações com corantes e deixe petiscos e comida úmida para de vez em quando.

8)      Cuide da saúde física do animal. Forneça abrigo, alimento, vacinas e leve-o regularmente ao Médico-Veterinário. Dê banho, escove e exercite-o.

9)      Zele pela saúde psicológica do animal. Dê atenção, carinho e ambiente adequado a ele.

10)  O Brasil tem milhões de cães abandonados. Esqueça o mito característico da adoção: pets adultos se adaptam com facilidade às mudanças. Meu pitaco: e você escapa da fase em que o filhote comerá várias coisas de que você gosta muito como sapatilhas, chinelos, cabos carregadores de celular e Funkos da Mulher Elástico.

Agora, importante mesmo é o quanto esse bichinho vai fazer bem para você. Tequila foi minha salva vidas mais vezes do que eu posso contar, e meus gatunos são divertidos e carinhosos (sim, gatos são muito carinhosos, esqueça isso de que são distantes). Se tenho algum arrependimento é não ter trazido a Tequila quando a Carol era mais nova, ela teria aproveitado ainda mais a irmã canina.

Do outro lado, não seria a Tequila e eu não imagino bicho mais perfeito para esta família.

P.S. Não, não é publi, tá? O apoio às campanhas de adoção de bichinhos é prática aqui da casa – nossos quatro bichinhos vieram das ONGs Adote Um Gatinho e Amigos de São Francisco.

P.S. do P.S. A Cobasi está fazendo sua campanha de aniversário e quem ganha são as ONGs: você escolhe sua favorita e as 16 mais votadas receberão 2 toneladas de ração cada. Corre lá votar!!!!

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Deixe seu Comentário