mãe! É uma obra que irá dialogar de modo único com cada espectador

Falar sobre mãe!, novo filme de Darren Aronofsky, sem spoilers não é uma tarefa simples, tentarei falar mais sobre as sensações que ele causa do que sobre o que ele é.

Então aí vai a primeira dica: vá com o espírito preparado, pois este é um filme totalmente diferente do você está acostumado a ver.

mãe! é um thriller psicológico que se sustenta em dois grandes pilares: um deles religioso e o outro ambiental. Ao longo dos 122 minutos de filme repetem-se os símbolos religiosos e ambientais. Se você piscar perderá um ou outro e ele poderá fazer falta para compreender o que está acontecendo.

Mas não se preocupe: você não conseguirá piscar mesmo.

Entre esses pilares, e dependendo da interpretação de quem for assisti-lo em função de seus valores pessoais, cabe de tudo: mensagens ecológicas, crítica ao culto da personalidade, surgimento de falsos messias ou falsas celebridades, a defesa da propriedade privada, o vazio existencial, a opressão da sociedade sobre o homem comum, a paranoia do isolamento, a formação familiar.

Sendo bem franco é bem provável que você modifique a lista acima depois de assisti-lo. Poderá ampliá-la, ou diminuí-la, poderá também discordar completamente do que estou dizendo e formar sua própria interpretação.

Acredito que a esta altura você já deve ter percebido que este não é um filme fácil e ele realmente não é. Alguns irão achá-lo incrível, muitos não irão gostar e muitos, talvez a maioria, não irão entende-lo, embora não o admitam. Tenho lido alguns comentários dizendo que ele lembra um pouco o filme O bebê de Rosemary, do diretor Roman Polanski.  Não acredite nisso.

Na verdade, eles se parecem apenas na sinopse: “Um casal é visitado por pessoas estranhas e misteriosas, provocando o afastamento um do outro, enquanto a esposa acredita que sua casa, sua família e sua vida estão em perigo”.

Os personagens não tem nome. A história se passa em um lugar indefinido. Poderia ser em qualquer lugar. A casa onde habitam é enorme e tem o formato octogonal.

Falei no início do texto que o filme se sustenta em dois pilares: religioso e ambiental, então aqui vai o único spoiler que vou dar sobre o filme e que diz respeito a um dos símbolos apresentados no longa, se você não quer saber, pule para o próximo parágrafo. Repare que a casa é octogonal. O número “8” é o símbolo do equilíbrio cósmico, é um número que possui um valor de mediação entre a terra e o céu, na Bíblia está relacionado à ressurreição e à regeneração, ao início de uma nova ordem.

Em passagem pelo Brasil para o lançamento do filme, Darren Aronofsky contou que este é seu projeto mais autoral: “Escrevi o primeiro esboço do roteiro em cinco dias”, contou. Ele ainda comentou as diversas camadas de interpretação – religiosas, políticas e sociais – e alguns dos símbolos presentes na obra, que tem gerado discussões desde a première mundial no Festival de Veneza, no início do mês. “A mensagem de que temos de cuidar do nosso planeta está nas escrituras, e até o papa tem falado sobre essa questão. Em algum momento, parece que nos esquecemos dela”, disse Aronofsky. “Mas o que está por trás do filme é a esperança.”

mãe! é um projeto cinematográfico ambicioso. É uma experiência cinematográfica perturbadora, angustiante, claustrofóbica e sufocante.

Sentimos na pele o pesadelo vivido pela personagem interpretada por Jennifer Lawrence, que carrega o filme nas costas (Será que ela receberá mais uma indicação por conta desta atuação?). A câmera está sempre colada no rosto da protagonista mostrando o que ela é, o que ela vê e o que ela sente. Nos identificamos com ela e isto amplifica a sensação de desconforto e asfixia.

mãe! é um filme desafiador e Aronofsky não tem receio em nos conduzir por uma jornada cada vez mais surrealista e caótica, sendo que os trinta minutos finais são, em uma palavra, apocalípticos, jogando-nos num redemoinho crescente de desordem e violência. É uma alegoria fantástica e ousada, realizada com um tremendo apuro técnico e de difícil digestão.

Alguns poderão considerar uma obra ofensiva e outros, genial. É uma obra que provavelmente irá dialogar de modo único e diferente com cada espectador.

Distribuído pela Paramount Pictures, mãe! é estrelado por Jennifer Lawrence, Javier Bardem, Ed Harris e Michelle Pfeiffer. No filme, a relação de um casal é testada quando visitantes não esperados chegam à sua casa e atrapalham a tranquilidade da família. mãe! é um suspense psicológico sobre amor, devoção e sacrifício.

mãe! estreia nos cinemas brasileiros hoje, 21 de setembro.

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

Deixe seu Comentário