Grimm: Blood Magic (6×10)

Mas, gente, o que acontece com esse povo? Eu gritava para a televisão enquanto via Eve fazendo o tal feitiço no espelho da casa de Monroe e Rosalee sozinha, todos nós sabendo que ela apenas estava se metendo em confusão e que agora Nick vai ter de salvá-la.

Por que esse pessoal em filmes e séries sempre faz isso, sempre faz o que os coloca em mais perigo? Será que na vida real somos tão descuidados? Nos arriscamos tanto? O lado bom é que, tudo indica, a partir do próximo episódio vamos realmente mergulhar nos mistérios dos símbolos daquele tecido – provavelmente até o Renard vai entrar na brincadeira.

Não que o fato da trama principal deste episódio não estar ligada a vareta ou ao tecido tenha sido ruim, nas verdade eu colocaria Blood Magic como um dos meus episódios favoritos da série: abordar a questão da demência para os wesens exigiu cuidado e delicadeza e o roteiro trouxe os dois.

Um episódio que trouxe uma melancolia poucas vezes presente até aqui: fazer do Gevatter Tod um wesen que permite que alguém com a doença tenham uma morte digna e não coloque em risco todos os demais foi um achado, todo o roteiro bem construído. Além disso, eles ressaltaram o quanto a união de Monroe e Rosalee é especial, mostrando que os dois já tem esse acordo entre eles.

Além disso, foi impossível não pensar na nossa própria falibilidade, ainda que nenhum de nós vá revelar algum segredo terrível, todos vamos envelhecer e muitas vezes magoar as pessoas a nossa volta caso acabemos sofrendo de demência – a verdade é que se de um lado a medicina hoje nos garante vidas mais longas, o cérebro ainda é um mistério e muitas vezes ele falha antes o que o restante do corpo se entregue. Toda a questão de final digno vem a tona e, puxa, como nós temos dificuldades em falar sobre a morte. Até mesmo em pensar nela.

P.S. Aha, Monroe entendeu a mesma coisa que eu: não adianta cobrir um espelho só, o problema não é ele, não é?

P.S. do P.S. A cena de Eve decifrando os livros da mãe de Adalind foi bem interessante, bem como o momento em que Adalind confessa que a mãe dela não foi lá uma grande mãe…

P.S. do P.S. do P.S. Assim como foi ótima ela ter contado logo ao Nick o que Eve estava planejando, a relação deles parece mais sólida.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *