Elementary: The Ballad of Lady Frances e Dead Man’s Tale (5×17 e 5×18)

Devo confessar: ainda que Dead Man’s Tale seja mais importante pela questão do Shinwell, The Ballad of Lady Frances foi muito mais interessante.

Claro, eu que colocava Eric Clapton com fone de ouvido durante a gravidez sobre a barriga, achei muito legal a busca pela guitarra lendária desaparecida, não poderia ser diferente.

Mas o episódio também teve outro aspecto muito interessante: o uso da vigilância 24 horas para “proteção da população”. Vejam vocês como é fácil manipular algo assim por qualquer motivo, mesmo um roubo. Isso sem contar o quanto essas informações também podem ser usadas de forma errada, para fins políticos.

Ainda que o episódio não aprofunde nenhuma dessas questões, ele serve bem para aquela levantada de sobrancelha de nossa parte antes de aceitarmos qualquer coisa em nome da “segurança”.

Finalmente, tivemos a totalmente inesperada virada na história, ou alguém havia desconfiado do rapaz da companhia de vigilância? Claro que não, não é mesmo? Ficamos apostando fichas no primeiro ladrão da guitarra e nem ao menos demos bola para o interesse do rapaz na conversa que ele ouvia.

Dead Man’s Tale também teve seu direito a virada inesperada – e pensar que o cara teria mais lucro não encontrando o tesouro que encontrando, não é mesmo? – mas ele fica marcado como “aquele em que Sherlock e Watson” tem o coração partido pelo Shinwell.

Tudo bem, coração pode parecer um tanto exagerado, mas a verdade é que os dois abraçaram a recuperação de Shinwell, Sherlock a ponto de se sujar para que ele não voltasse para a cadeira, e acabaram descobrindo que ele era realmente um assassino.

Ainda que não devesse ser surpresa uma revelação dessas, afinal ele passou anos em uma gangue de traficantes, não deixa de ser triste o serviço a que ele se prestou matando o melhor amigo. Imagino que a culpa também o corroa, motivo pelo qual agora ele está tão empenhado em destruir a gangue, mas isso não o desculpa.

Ainda mais depois dele ter surrado Sherlock: Shinwell não tem nem coração, nem cabeça no lugar certo, ainda que pudéssemos pensar isso até dois episódio atrás. E pensar que fiquei triste pela forma como a filha dele falou com ele.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *