Bates Motel: Marion (5×06)

Ah, a surpresa!!! Se um elemento das obras de suspensa, livros, séries ou filmes, é o fato de sabermos que algo acontecerá, mas não sabermos quando e onde, a produção de Bates Motel soube nos enganar direitinho, nos deixando como bobos achando que sabíamos tudo que aconteceria, afinal assistimos a Psicose, não é verdade?

E souberam nos levar pelo caminho que queriam: a chegada de Marion, as cenas de seu banho, Norman assistindo a tudo, quase que versões coloridas das cenas do filme, tudo nos leva a crer que o momento chegou. Mas o momento passa.

Nossa Marion de cabelos avermelhados deixa o motel, tem a oportunidade de uma vida nova, ajudada por Norman.

Ainda assim, ainda que tenha partido, sua personagem se torna decisiva para Norman, que passa a conversar com o seu outro eu, aquele que criou para se proteger. Ele tenta entender o por quê das decisões que tomou, o que aconteceu nos blackouts, ele nega a existência dessa mãe de sua mente, quer que ela vá embora, ele se sente indefeso sem ela. Freddie Entregou sua melhor interpretação de Norman e todo esse mundo que habita dentro dele. Uma cena absurdamente triste.

E pensar em que Norman poderia ser se, bem, se não tivesse passado tudo que passou. O cara que revelou a verdade de Sam para Madeleine e Marion não por maldade, ainda que ele estivesse encantado com Madeleine, mas por saber que ele enganava as duas.

E isso fazia tanto mal a ele que, na releitura da série para a clássica cena do banheiro, acaba por matar Sam. E isso sem vestir-se de Norma e estando consciente do que fazia.

Mais que tudo, essa escolha deixa os episódios a partir daqui imprevisíveis: o destino de Norman agora é o grande mistério. Após a ligação de Dylan é provável o retorno do irmão a cidade, só que agora isso não significa mais que ele acabe morto pelas mãos do caçula… Ou significa?

Os roteiristas foram corajosos e felizes em suas escolhas. Isso eu tenho certeza.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Quanto mais assisto a série mais me apaixono. Acho extremamente injusto essa série não ter sido premiada. Uma das melhores na atualidade.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *