Bull: Free Fall (1×16)

E seu eu disser que gostei do fato de Bull ser menos invencível – ainda que ele tenha ganha no final – e não tão perfeito, afinal ele foi bem intransigente aqui, não é verdade? E, ainda que ele tenha enfrentado o paraquedas ao final (afinal, porque pular de um avião funcionando perfeitamente), a gente sabe que ele tem medo de algumas coisas. Mesmo os destemidos tem medos.

Além disso, ver Liberty tão “adulta” me deixou muito feliz – feliz porque eu gosto da personagem e não feliz estilo a Marissa, que deu uma de mamãe orgulhosa mesmo.

Lado ruim? Eu já sabia que Max tinha alguma culpa no cartório, só não sabia o motivo, pensei até que ele apenas queria acabar com o negócio do irmão por algum motivo pessoal, mas jamais que ele realmente queria matar o governador por conta de uma nova lei que acabaria com a empresa.

Na verdade, quando ele começou a falar e a falar deu para perceber claramente que ele tinha outros problemas com o irmão.

Sobre os funcionários do governador morto: Avery é um narcisista com toques de psicopata (ninguém faz uma brincadeira com a morte de alguém próximo tão facilmente, ainda mais considerando que ele estava no avião. E, na verdade, o próprio governador não era lá grandes coisas, tendo um caso com a esposa de seu vice, desviando dinheiro do estado. Não que a gente deseje a morte para gente assim, mas as vezes a gente deseja. #justsaying

Uma pena que para provar seu ponto Bull tenha acabado atropelando Rick, o amigo agente de Danni… Pelo menos a história toda serviu para que ela chamasse o moço para sair. Bull pode ter apontado o dedo para Marissa quando falou em medo de compromisso, mas acho que Danni também se encaixa.

Pena que para o Benny seu maior medo tenha se tornado verdade: a investigação federal é porque ele pode ter condenado um homem por assassinato e ele é inocente. Ou pelo menos novas evidências indicam isso. Ainda que eu entenda o sentimento de culpa do Benny, precisamos lembrar que ele fez o possível com o que tinha na época.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Não teve como não me lembrar do Dinnozzo em que ele faz tudo pra saltar de paraquedas !

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *