Bates Motel: The Convergence of the Twain (5×02)

Como o nome deste episódio nos adiantava, chegou o momento de mais pessoas, além  de nós da audiência, descobrirem sobre a dupla personalidade de Norman Bates, o momento em que dois se tornam um. Infelizmente para Caleb esta foi a última coisa que ele pode saber.

E não havia dúvida de que alguém morreria ao final deste episódio: a minha impressão ao assistir dois trens, um na direção do outro, em alta velocidade, sem que houvesse o que impedisse o desfecho trágico. Norman descobrindo que o marido de Madeleine era um traidor mentiroso; seu encontro com Romero, de alguma forma validando as mortes que ele causa; Norma e a “discussão com sua mãe” no banheiro do restaurante; Caleb descobrindo sobre a morte de Norma e imaginando quem a causou. Cada uma dessas coisas um pedaço desse “acidente”.

De todos estes pedaços, apenas da morte de Caleb ser significativa, foi o encontro de Norman com Romero o mais marcante para mim. Primeiro porque demonstra que Norman não precisa mais estar “em surto” para fazer coisas perigosas, para se sentir forte. Em segundo lugar, porque a partir dele Romero traçou um novo plano de vingança e eu achei esse plano inteligente.

(Pena que eu saiba que ele não vai dar certo. Isso não aflige vocês? Ainda mais nesta última temporada?)

Claro que nem sempre torcemos contra Norman, ou contra os trágicos desfechos – uma dualidade que diminuiu em relação ao que sentíamos na primeira temporada, mas continua aqui. Um exemplo disso é aguardarmos o que ele fará com o marido traidor de Madeleine.

P.S. Gente, e o tanto que nossa Norma-morta é linda e elegante?? Eu fico a cada dia mais impressionada.

P.S. do P.S. Já Freddie na cena do bar demonstra o quanto é bom no que faz, momento em que dói a falta de prêmios por sua atuação no papel, interpretando uma Norma perfeita.

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. Concordo com você Simone quanto a falta de prêmios para a série e os atores. Realmente uma das séries que tenho mais prazer em assistir no momento.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *