Doctor Who: World Enough and Time (10×11)

Aquele em que tudo que poderia dar errado, deu. E nem foi porque Missy falhou na missão de ser boa, mas porque sua antiga versão, o Mestre (o querido Simms), apareceu complicando tudo. E por complicar entenda transformar Bill em um cyberman. Não foi um bom dia para o Doutor e tudo tinha começado tão divertido.

E eu nem falei ainda do fato deles todos estarem presos em uma nave simplesmente próxima demais de um buraco negro – a ponto do tempo passar de forma diferente nas duas extremidades dela, algo que Einstein gostaria de me explicar com mais cuidado.

Questão é que agora só falta mais um e World Enough And Time criou a tensão necessária para um final de temporada que também significa a despedida da encarnação atual do Doutor – por que? por que? Por que? – depois de quase enfartarmos achando que tinham adiantado a coisa toda para este episódio.

Depois do susto, ver Missy e seus “snacks dispensáveis e alívio cômico” em ação foi interessante, especialmente se você é um dos muitos fãs de Missy ou um dos que acham que um “doutor mulher” funcionaria bem. A verdade é que Moffat usou bem a hipótese de Missy ter que ficar no lugar do doutor e pelo menos uma vez salvar as coisas ao invés de explodi-las.

Claro que nenhum divertimento aqui é gratuito e deu para sentir várias cutucadas de Missy no doutor por causa de seus métodos e elas são coerentes: só vale um tipo de bondade? Existe só uma maneira de fazer o certo? Claro, o Doutor é nosso herói, mas a verdade é que ele às vezes estraga bastante coisa antes de salvar a todos no final.

Bom, eu já estava convencida da conversão de Missy quando a identidade do estranho médico foi revelada ao final. Mais alguém passou o episódio todo olhando aquele rosto e pensando “eu conheço ele de algum lugar” ou todo mundo já tinha matado desde o início que aquele era o Mestre?

Agora, sofri horrores quando vi o que aconteceria com a Bill. Fiquei rezando para que o Doutor entrasse pela porta antes que a transformação acontecesse e quando ela solta aquela lágrima, nossa, me partiu em dois. Ainda mais porque ela só se colocou em risco por confiar no Doutor, para que ele pudesse ter a chance de ver Missy mudar, algo que só era importante para ele.

Pior é o sentimento de que agora já foi. A última vez em que alguém do time do bem foi transformado, bem, ele até pode não ter ficado ruim, mas também não voltou a ser quem era, sendo sacrificado ao final – o Dany, namorado de Clara, lembram? Fico aqui tentando acreditar que eles vão dar um jeito de trazê-la de volta. Que não pode ser apenas uma temporada para a Bill. Será?

P.S. Amei o Mestre e Missy conversando, temos apenas mais um episódio, mas gostaria de ver mais disso.

P.S. do P.S. Esse é o Mestre de quando? O ex-ministro? Ainda não ministro? O que significa esse encontro de passado e presente? Será que Missy vai realmente voltar atrás?

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *