Uma Família de Dois traz o carisma de Omar Sy e emociona

O diretor Hugo Gélin (de A Gaiola Dourada) escolheu uma refilmagem para seu segundo filme: Uma Família de Dois adapta Não Aceitamos Devoluções, filme mexicano de 2013, trocando as paisagens do México e da Califórnia pelas da Riviera Francesa e Londres.

E adiciona, principalmente, o carisma de Omar Sy (de Os Intocáveis) e Gloria Coston. O ator frânces, pai de quatro filhos, não teve dificuldades em criar uma ligação real entre os dois personagens, que acabam formando uma adorável dupla de pai e filha.

Omar é Samuel, uma francês que vive na Riviera Francesa, pilotando barcos de luxo, rindo em festas sem hora para acabar, rodeado de sorriso e lindas mulheres. Pelo menos até uma ex-namorada (Clémence Poésy) aparecer em uma manhã e deixar com ele uma bebê que ela afirma ser sua filha.

Totalmente despreparado para a novidade, o primeiro instinto de Samuel é devolver a criança, o que o leva em uma viagem até Londres… Ainda que ele não faça a mínima ideia de onde ela está.

Sem conseguir encontrá-la, Samuel se vê mais perdido que em qualquer momento em sua vida até que o acaso coloca Bernie (Antonine Bertrand) em sua frente. Se Gloria, a bebê, deixa Samuel sem chão, a amizade de Bernie fará com que ele consiga uma nova vida com a menina: um lugar no apartamento dele até que ele tenha como ganhar a vida, um emprego de dublê para que ele possa ganhá-la.

Ainda que vivendo longe de sua terra natal, Samuel em nenhum momento deixa de ser o rapaz de sorriso aberto e que acredita que tudo vai dar certo que conhecemos na Riviera Francesa, o que torna a vida de Gloria mágica.

O único senão é a ausência da mãe, explicada por Samuel com uma mentira sustentada por e-mails que ele escreve para a menina como se fosse Kristin. Ele também tenta incluir a ex na vida da filha, copiando em seu perfil desativado no Facebook as respostas que Gloria envia aos seus e-mails.

O que ele não esperava é que Kristin não somente resolvesse aparecer oito anos depois, mas querer que a menina mude com ela para os Estados Unidos, como se este fosse o pedido mais natural do mundo, sem que ela sequer explique porque deixou a menina e se manteve longe por tanto tempo.

É quando ao filme perde o ar leve de comédia e nos aflige, afinal estamos conquistados por Samuel e não podemos imaginar algo mais injusto do que ele perder sua filha. E o retrato da situação é feito tão acertadamente que é impossível não pensar nesta situação se repetindo na vida real e, por consequência, o choro nos vence em mais de um momento.

O longo conta, ainda, com uma bela edição de arte e fotografia, algo que salta aos olhos, e, por seu conjunto, essa é uma rara exceção em que a refilmagem é ainda melhor que original. O filme entra em cartaz no Brasil oficialmente nesta quinta, dia 29 de junho, mas já conta com algumas pré-estreias hoje a noite.

Direção: Hugo Gélin
Roteiro: Guillermo Rios, Eugenio Derbez, Leticia Lopez Margalli
Elenco: Omar Sy, Clémence Poésy, Antoine Bertrand, Gloria Colston, Ashley Walters

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *