Shades Of Blue: The Quality of Mercy (2×11)

E quem diria que um dia estaríamos aqui agradecendo pela presença do Stahl e pelo fato dele ser um completo cretino? Porque se não fosse por ele Harlee não teria conseguido salvar a filha – alguém precisa explicar para ela como uso o Busca Iphone, isso ia facilitar e muito a vida dela.

Ah, e nada como uma apuro em família para que todos parem de discutir o que não vale a pena e se unam “pelo bem maior”, não é verdade?

Agora, que a Cristina merece passar por um aperto nenhum de nós discute. E não é só porque ela é uma mala sem alça, mas porque, para uma garota que quase perdeu a mãe, que vê o filho de um cara que é como um pai para ela no hospital após a casa deste cara ser quase derrubada a base de tiros, e mata aula e deixa a escola sem avisar ninguém  aonde está indo merece passar por um aperto.

Mas esse não foi o grande momento do episódio e sim o momento em que a estagiária conta ao advogado do Bianchi que Harlee e Woz estiveram no escritório. Aquele momento em que ficamos realmente na dúvida sobre a efetividade da compaixão – ainda que Woz afirme que é bom que Harlee a mantenha, enquanto ele usa a dele com cachorros (e eu o entendo).

O segundo grande momento é quando Bianchi diz à Harlee que é melhor eles não abrirem aquela caixa, seguido de Woz conseguindo abri-la e então vendo fotos de Julia, ou da chefe de Stahl junto com o cara da corregedoria (se eu vi direito).

P.S. Stahl sempre arruma um jeito novo de me assustar, seja salvando Cristina, mas não esquecendo de pegar o copo dela para o teste de DNA, seja falando que “vai curar” Harlee do veneno. Affff.

P.S. do P.S. Woz ao telefone com a assistente da Julia: sem preço.

P.S. do P.S. do P.S. A Cristina do flashback é muito mais fofa, podemos ficar com ela?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *