Chicago Justice: Fool Me Twice (1×12)

E tem como o Dylan Walsh fazer participação especial como policial e não ser o policial corrupto? Não, não tem. E aí a gente já sabia o culpado, só faltava saber o crime e ver como o Stone ia fazer para colocá-lo atrás das grades.

Pena que os roteiristas tenham escolhido justamente o episódio do policial corrupto para dar ao Stone uma derrota. Ver o personagem do Dylan sair livre foi daquelas decepções que a gente demora a superar. Dá aquele gosto amargo na boca de que o povo em geral não vê problema em um policial que mata pessoas e recebe dinheiro de bandido, desde que as pessoas que ele mate pareçam bandidos também.

E olha que Laura e Antonio se esforçaram para juntar todas as provas que podiam para garantir a condenação, o encerramento de Stone foi no ponto, não existiam motivos para que ninguém no júri ter qualquer dúvida sobre a forma como eles agiam, Stone na verdade foi muito feliz em lembrar que o discurso do policial de que todo mundo que se envolvia com um traficante era bandido se aplicava a ele também.

Mas o júri ignorou tudo isso e apenas considerou “a justiça sendo feita”.

Espero que pelo menos o próximo episódio, o último da série, tire essa má impressão e a gente tenha boas lembranças de Chicago Justice. E devolvam o Antonio para Chicago PD também.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *