Chicago Med: White Butterflies (2×22)

Que a coisa não seria tão fácil quando Rhodes imaginava, nós já sabíamos. Que White Butterflies terminaria com o risco de Robyn se atirar da sacada do apartamento do cardiologista, eu nem poderia supor.

O comportamento de Rhodes foi compreensivo, como eu disse antes, o doutor Charles errou ao não envolver Rhodes e outras pessoas em sua decisão, ao não mostrar o que encontrou no apartamento da filha e definir o melhor caminho para tratá-la. A questão, é que mesmo vendo aquelas paredes esburacadas, poucos de nós poderiam imaginar que ela se colocaria em risco desta forma.

O que acabou acontecendo com Robyn não é uma vitória do pai dela, pelo contrário, é a demonstração de que tudo deveria ter sido tratado de forma diferente.

(Agora, que a briga entre Charles e Rhodes foi uma das melhores coisas que essa série já entregou para gente, não tenho dúvida nenhuma.)

No restante do hospital as coisas também foram agitadas, principalmente para Choi e April, que lidaram com um paciente que preferiu morrer do que encarar mais dois anos de sofrimento por conta da esclerose múltipla. Enquanto Choi se mostra mais compreensivo com a decisão do paciente, April entra em crise dizendo que Choi está ajudando o paciente a se matar.

Ao final os dois se reaproximam… Mas não foi o melhor dos momentos: a atração dos dois já vinha sendo insinuada nos episódios anteriores, mas quando Choi tentou beijar April ela recuou. Será que eles terão uma segunda chance?

Falando de segundas chances:  Noah infelizmente ganhou a vaga de residente agora que Jeff resolveu mudar para o Hawaii (eu também escolheria o Hawaii se eu pudesse) e Natalie parece que terá uma segunda chance com Halstead, mas não exatamente o Halstead que a gente imaginava. Ou fui a única a achar que estão empurrando Jay para ela?

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. E a tal da lenda brasileira: que se vc ver uma borboleta branca no primeiro dia do ano você terá muita sorte! Nunca ouvi falar sobre isso ou a legenda estava errada. Não prestei atenção na versão original com o meu pouco inglês

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *