Grey’s Anatomy: What’s Inside e In the Air Tonight (13×19 e 13×20)

Depois de todo o sofrimento de assistir a esta temporada, parece que algumas coisas estão sendo colocadas no lugar nesta reta final e é impossível não comemorar um pouco as histórias destas dois episódios, distantes de todo o drama de Alex e da chegada de Elisa. Torço para que sejam um indicativo de que eles reencontraram o rumo, vão arrumar a casa e que a próxima temporada passará bem longe desta #todosreza.

What’s Inside foi um episódio para Maggie. Não, retiro o que disse, foi um episódio sobre luto e passagem. Apesar de usar a perda de Maggie para nos falar sobre isso, é engraçado observar que ela aparece em poucas cenas do episódio, enquanto ela era citada ou usada como exemplo em quase todas as outras, enquanto os demais personagens falavam da forma como eles ficaram em luto – ainda bem que alguns tiveram a oportunidade de perceber que existem formas sadias de fazê-lo.

Maggie voltou a ser a personagem da temporada anterior, aquela que junta os pedaços, vence seus medos, encarar a vida. Ela precisa que o pessoal a sua volta, tão acostumado com grandes tragédias e dramas, lhe dê um minuto para que ela respire e volte a funcionar sem ter sua mãe por perto, alguém tão importante para ela.

Achei a cena da cirurgia muito bem escrita, ela serviu para mostrar o quanto nos desesperamos ao não saber ajudar alguém que amamos e não queremos perder e ela serviu para lembrar da necessidade de pausas e respirações. Claro, Maggie ao voltar para casa chorou e sim ela está muito mal, mas a vida continua e ela precisa passar por isso também.

Mas o episódio se encerra com uma ideia arriscada: a aproximação de Maggie e Jackson pode significar um novo relacionamento amoroso? A grande verdade é que eles vinham se aproximando nestes últimos tempos de forma sútil e nós não tínhamos prestado atenção. Desde o retorno de Montana não vimos sequer uma cena entre April e Jackson, nenhuma citação de retorno e é impossível negar o clima dos dois naquele balanço.

Sei que o casal April e Jackson tem imensa torcida, qual eu simplesmente não consigo compreender, e por isso chamei a ideia de arriscada. Do outro lado, depois de tanto vai e volta e da clara inadequação do casal (gente, não tem como negar que os dois são simplesmente diferentes demais), seria interessante ver algo novo… Só me preocupo com Maggie sofrendo, tá aí uma personagem que merece uma pausa nos sofrimentos do coração.

Bom, eu estava lá toda tão feliz de sairmos do buraco negro da temporada que, quando In the Air Tonight começou, eu morri de medo – eu assisti aos dois na sequência, já que o NOW da NET só trouxe o episódio 19 junto com o seguinte – com o simples fato dele colocar Meredith e Riggs em um avião. Ainda que eu não ache que Shonda vá matar sua protagonista, vai que ela resolve tirar mais um homem da vida desta de forma trágica.

Só que de novo as coisas funcionaram direito. Na verdade eu amei de verdade este episódio, que trouxe o passado de volta com Meredith revivendo as questões do acidente e depois conversando sobre ele com Riggs – só eu achei um tanto absurdo o fato de não saber do acidente depois de tanto tempo no hospital? – e parece finalmente ter acabado com  o chove não molha do casal.

Se no episódio passado vimos Arizona assustando o Riggs falando sobre quão especial foi o amor de Derek e Meredith, aqui vemos que não é Riggs quem realmente tem medo, mas Meredith. Não somente medo de se magoar de novo, mas medo do que isso significa, de deixar o passado de verdade para trás.

De novo um acerto: no episódio passado o roteiro falou sobre formas de luto, aqui ele fala sobre o fato de que cada um tem seu tempo de luto.

P.S. Dois episódios sem Elisa e ninguém sentiu falta, certo?

P.S. do P.S. Sorry, Bailey, mas Catherine não merece nenhum pedido de desculpas por parte do Richard. Não mesmo.

P.S. do P.S. do P.S. Gente, as comissárias de bordo não recebem um treinamento mínimo de atendimento de emergência não? A moça lá estava bem inútil quando não estava dando em cima do Riggs.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Meredith heroína do dia de várias maneiras: salvando aquele cara com uma seringa e um canudo e colocando um idiota no lugar quando defendeu aquela mãe e seu menino. Particularmente gostei mais deste segundo salvamento…

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *