X Company: La Vérité Vous Rendra Libre (2×07)

“Que a verdade nos liberte”

Não sei vocês, mas eu tenho achado os nomes dos episódios desta segunda temporada de X Company especialmente felizes. Desta vez ele pode ser aplicado tanto à Aurora e Sabine, que revelaram seu mais doloroso segredo uma para outra, como pode se aplicar a descoberta feita por Alfred no apartamento dos Faber.

Mas ela também tem sua relação com a fuga de Martin e consequentes problemas do restante da equipe na floresta quando este acaba por vender sua localização ao nazistas. Sem esquecer de Neil e Miri e a conversa que tiveram sobre seus sentimentos – Miri conta com minha simpatia pelo que sofreu, mas confesso não suportar esta garota.

Eu já disse isso antes e repito: cada episódio desta temporada de X Company meio que engasga na garganta. Tom diz que Aurora deveria compreender o que Harry passou, ela diz que todos eles passaram por algo, sofreram algo e a verdade é que sofremos com ele e em certos momentos eu fico torcendo por um momento para respirar e eles não tem sido muitos.

O que dizer de Faber chegando no apartamento com Alfred lá dentro? Eu confesso que não via saída para nosso amigo e devo ter prendido a respiração por algum tempo, até vê-lo na igreja, aonde ele chega a tempo de ouvir Aurora contar sobre o ocorrido com René, mas não a tenha seguido para entender que as duas saíram de lá para um trem.

x-company-la-verite-vous-rendra-libre-2x07-s02e07

Na verdade Alfred e o restante do time tem uma preocupação mais importante agora: como contar a Sinclair que o acampamento está prestes a ser atacado?

De novo preciso elogiar o elenco: Evelyne, Livia, Jack e Torben estão absolutamente soberbos em seus papéis – Aurora, Sabine, Alfred e Franz.

P.S. Faber não demorou nada a entender quem é a tal amiga de Sabine, será que ele também conseguirá encontrar as duas?

P.S. do P.S. Elogiei quatro dos atores, mas é impossível falar de alguém do elenco que não esteja bem.

P.S. do P.S. do P.S. Neil já não conseguia dormir por ter matado o alemão, agora que matou Martin já prevejo toda uma nova série de pesadelos para ele. Uma das maiores qualidades de X Company, para mim, é sua capacidade de contar as coisas sem fazer julgamentos. São tantas as situações impossíveis que esses personagens vivem que não cabe julgá-los.

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. Quando este episódio foi exibido no Canadá, Torben havia acabado de receber um prêmio no Canadian Screen Award por seu trabalho na primeira temporada. Acho que já podiam ter entregue o do ano que vem também.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *