X Company: Black Flag (2×06)

Algo me diz que nenhum episódio desta temporada de X Company será fácil. Mais próximos de realmente fazer diferença no resultado final da guerra, as consequências de suas ações também ficam mais e mais assustadoras.

Na verdade isto acontece também do lado oposto: todas as cenas com Faber neste episódio são carregadas de emoção, numa adequada demonstração do que acontece com o personagem. O peso pela morte do filho, a tortura silenciosa de guardar um segredo e o medo de que alguém o descubra, a falta de humanidade com que ele lida o tempo todo, seja executando o seu trabalho, seja pela forma como seus superiores lidam com ele. Acho que poucas vezes vi um personagem alemão retrato de forma tão complexa.

Faber não é um simples vilão, ele é um ser humano em um tempo desesperadamente negro.

x-company-black-flag-2x06-s02e06

E o peso das decisões perpassa pelas as inteirações dos demais personagens desde o início do episódio, com Neil acordando de um pesadelo com o alemão que ele matou. Nos lembra do quanto Harry foi afetado pelo que viu no porão daquele médico e nos sinaliza que poderá pesar para Aurora, que se conectou à Sabine, ainda que diga para Alfred que apenas quer proteger a fonte de informações que eles agora tem.

A verdade é que Aurora se importa com Sabine, a vê como mais uma vítima da guerra e, por mais que eu confie e goste da personagem, sei que isso vai afetar sua forma de conduzir as coisas, só espero que não a ponto de colocar em risco seus companheiros.

Este episódio, na verdade, ficou marcado como aquele em que eu tive mais sentimentos conflitantes em relação à líder do grupo: imagino que Harry tenha contado o que aconteceu naquele porão e como líder ela deveria trabalhar isto de alguma forma que não “dar bola” para a confrontação que ele provocava. Depois sua reação ao comentário de Alfred e, finalmente, quando ela segura Harry vendo as mortes causadas por Faber em consequência ao bem executado atentado a bomba. Do outro lado, ela foi fria o bastante para manipular os sentimentos da alemã para descobrir o que precisava sobre o general.

Sim, ele não foi perfeito, mas considerando os riscos que eles correram e a rapidez com que colocaram o plano em prática, eu diria que ele foi sim bem executado.

P.S. O sangue no rosto de Faber foi mais significativo que ver as vítimas recebendo os tiros. Outra dimensão do que acontecia, sabem?

P.S. do P.S. Gente, o que foram estas interpretações? Connor Price e Torben Liebrecht merecem todos os elogios.

P.S. do P.S. do P.S. Será que Kristina e Sinclair vão conseguir dobrar a lealdade de Klaus?

P.S. do P.S. do P.S. do P.S. E o mergulhador?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *