Cinema: Desculpe O Transtorno

desculpe-o-transtornoConfesso: fui a pré-estreia de Desculpe o Transtorno não esperando nada. Ou melhor, esperando apenas uma noite divertida com uma amiga assistindo a mais uma comédia brasileira carregada no besteirol, ainda mais considerando a presença de muita gente do elenco de Porta dos Fundos.

O que encontrei foi um filme que lembra, e muito, as comédias românticas americanas, mas com inegável pegada brasileira – trilha sonora linda com direito a Fernanda Takai, um Rio de Janeiro iluminado, uma São Paulo cinza, mas bonita e divertida.

Um roteiro gracioso com diálogos pra guardar depois e piadas que não sobram, mesmo a caracterização da personagem Viviane (Dani Calabresa), que poderia soar exagerada e falsa acaba funcionando muito bem – duvido que quem assista não lembre de alguma conhecida que seja igualzinha à Viviane.

A história é simples, perfeito exemplo de que menos é mais: Duca é um menino que aproveita e muito sua infância livre no Rio até que seus pais se separam e ele é confrontado com a decisão de ficar na cidade com a mãe ou ir para São Paulo com seu pai.

Corta para o tempo presente e Duca agora é Eduardo (Gregório Duvivier), um paulistano todo certinho, que trabalha com o pai e fica noivo de Viviane. Uma vida toda certinha também, pelo menos até ele receber a notícia da morte de sua mãe e viajar ao Rio de Janeiro de qual ele pouco lembra.

Em uma cena ótima no aeroporto, Eduardo precisa fazer uma escolha e é levado de volta ao momento em que seus pais se separaram e em que toda a sua vida mudou. Vemos então surgir Duca, personalidade oposto de Eduardo, que resolve não voltar para São Paulo e aproveitar a cidade maravilhosa.

É então que seu caminho cruzará com o de Bárbara (Clarice Falcão), quase atriz que hoje distribui balões vermelhos no aeroporto, vestida em uma fantasia de coelho cor de rosa.

O problema é que Eduardo e Duca passam a se revezar “ao volante” da vida do rapaz e isso causa todo o tipo de confusão possível. Usando uma frase do filme: ele precisará resolver “suas merdas” sozinho e resolver qual dos dois quer que decida por ele a partir de então.

Não é simplesmente São Paulo versus Rio de Janeiro ou Viviane versus Bárbara, a cada mudança de personalidade vemos os mais simples aspectos da vida sob a visão de cada um deles e esse cuidado é delicioso de ser assistido.

Mas acho que o maior elogio que posso fazer ao filme é: assistiria de novo e mais de uma vez.

Desculpe o Transtorno estreia dia 15 de Setembro nos cinemas e é uma produção da Gullane, responsável também pelo seriado brasileiro Unidade Básica que estreia neste próximo domingo no Canal Universal.

P.S. Adoro a Clarice, mesmo, tenho os dois discos e coisa e tal. Sou péssima em acompanhar vida amorosa de amigo, que dizer de celebridades. Então não sabia que ela e o Gregório já não estão mais juntos. Fiquei triste, achava o casal uma graça juntos. Diz Gregório que eles não tiveram filhos, mas tiveram um filme pra mostrar essa relação que tiveram, que ele chamou de linda e de muito amor.

P.S. do P.S. Queria que filme brasileiro gerasse material pro Tumblr que nem filme internacional. Vários diálogos deste aqui mereciam ser compartilhados e compartilhados.

P.S. do P.S. do P.S. Assiste ao filme a convite do Shopping JK Iguatemi. O que dizer daquelas poltronas que reclinam e não deixam minhas perninhas curtas penduradas, gente? Muito amor!

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *