Mossad 101: Episode #1.2 (1×02)

Treze recrutas sobreviveram a noite infernal que Yona preparou para eles, mas tiveram um tanto de trabalho para isso: escapar da polícia local se mostrou uma tarefa tão difícil quanto escapar de um pessoal nada judeu com que alguns deles acabou se metendo num jogo de cartas.

Quer dizer, quase, já que um dos recrutas resolveu enganar o policial que o pegou e assim conseguir carona garantida para o Hamidrasha – a meu ver um dos mais espertos por aqui. Acho que foi o Kobi, confesso que ainda não consegui decorar os nomes.

E ele não foi o único por optar por carona: o grupo em que estava Doris também garantiu a sua sequestrando um dos diretores do Mossad – ideia da Doris mesmo – que os levou até lá.

Sveta, Hanoch e Hefner conseguem ainda dormir na casa da primeira antes de pegar uma carona em um helicóptero do empresário rico – nada como ter um ex-piloto com você quando se precisa, certo?

O último grupo a chegar é o que escapa do cassino com todos vivos graças a ajuda de Hagai: matemático e especialista em computadores ele consegue em uma mesa de blackjack recuperar o dinheiro perdido pelos demais e ainda garante, correndo no meio de uma plantação, desviar a atenção da polícia e conseguir que todos alcancem o portão do quartel general.

Só que Yona não reconhece os méritos do que ele fez e acaba por tirando-o do grupo de recrutas. Se alguém puder me explicar por que, agradeço.

Mossad 101 Episode 2 1x02 s01e02

P.S. Cenas dos próximos episódios exibidos pelo canal acabaram por entregar várias spoilers, o pior deles revelando quem seriam os vilões do grupo. Uma pena. Tentarei esquecer.

P.S. do P.S. Assisti ao segundo episódio primeiro legendado, depois dublado. Fiquei mais confortável com a dublagem que, além de estar muito boa, não me dá a impressão de que não traduziram tudo que o pessoal falou…

 

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *