Hannibal: The Number of the Beast Is 666 (1×12)

Ao que parece Fuller está decidido a encerrar Hannibal causando sentimentos conflitantes  em mim: gostei ou não gostei desta decisão? E aquela cena, seria mesmo necessária? Coisas que, quando olho para trás, quando a série me inspirava elaborados textos, não acontecia.

The Number of the Beast é um grande episódio, como a véspera do fim deveria ser. Ainda assim, não consigo me sentir satisfeita, mesmo que parte das decisões tomadas tenham sido as únicas possíveis.

Francis agora é o Dragão Vermelho, sua transformação se completa quando ele busca vingança, seja de Will por sua família ter escapado, seja de Frederick pelo que disse dele ao jornal – Frederick toma o lugar de Lounds, verdadeiro objeto da vingança no livro – em uma cena forte que nada deveu as cenas da primeira temporada.

O episódio todo, em verdade, foi de cenas fortes, cuidadosamente feitas e recortadas.

Além disso, nos parece que os roteiristas já tinham o destino de cada personagem definido, mesmo que ele tenha sido produzido antes da decisão de cancelamento, e que cada detalhe deste episódio foi pensado para levá-los a um conflito final no mínimo sangrento.

Para Will as coisas apenas pioram. Na verdade eu nunca vi um “mocinho” sofrer tanto em uma série como nesta. Se já não bastasse a culpa que ele sente pelo que aconteceu com Molly e seu filho, temos Will procurando por Bedélia como terapeuta, nunca amostra clara de que ninguém restou são nesta história toda, e ouvindo que ele é sim responsável pelo que aconteceu com Frederick.

Frederick que acabou pro sofrer o destino nos livros definido para Lounds, mas que realmente perderia parte do impacto se sofrido pela repórter já que havia sido a forma escolhida para falsificar sua morte no passado – algo me diz que esse é um dos detalhes que não foram pensados a longo prazo na série, caso contrário não teria sido usado antes.

Bedélia aponta Will como o grande manipulador da trama que leva o Dragão a Frederick, mas precisamos reconhecer a culpa de Jack em tudo. TUDO.

Jack e Hannibal. Não deixa de ser irônico o fato de Bedélia confirmar para Will que o canibal está apaixonado por ele enquanto Hannibal faz o que for possível para torturá-lo. Um relacionamento nada saudável este.

Quanto ao canibal, o que podemos dizer da cena que ele divide com Jack e Alana logo após saborear parte dos lábios de Frederick e declarar que, ao saber o que aconteceu com o psiquiatra, nada mais lhe resta que não seja ficar bem humorado?

HANNIBAL -- "The Number of the Beast is 666" Episode 312 -- Pictured: (l-r) Laurence Fishburne as Jack Crawford, Mads Mikkelsen as Hannibal Lecter, Caroline Dhavernas as Alana Bloom -- (Photo by: Brooke Palmer/NBC)

Finalmente temos Francis, ou melhor, o Dragão. Agora que acredita estar totalmente transformado, ele aprisiona Reba e ainda planeja uma vingança para a humilhação que acredita ter sido imposta pelo agente.

E, como aprendemos, por mais que o destino dos personagens tenha sido traçado nos livros, aos quais Fuller sempre soube homenagear com cuidado, ainda que tenha feito mudanças, nenhum final feliz é prometido pelo produtor, não é mesmo?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *