Sleepy Hollow: Magnum Opus e The Akeda (2×10 e 2×11)

Você ficou como eu e teve que confirmar se esse não era o final da temporada? Eu tive, porque ver Henry pegando a espada e acabando com o Moloch não foi algo que eu esperava a este ponto da história.

E fico aqui pensando se os roteiristas não acabaram por gastar vela antes da hora: Henry se juntando ao time dos bons me parece algo improvável e a saída do personagem tiraria boa parte da graça, já que ele, até aqui, era o único que não questionava os mandos e desmandos do chifrudo.

Mas, voltando um pouco, vamos falar dessa dupla de episódios que, lá nos EUA, vieram antes da pausa do final de ano, o que justificaria tanta ação em tão pouco tempo.

Temos, em Magnum Opus o encontro de Ich e Abbie com a mitologia grega ao encontrarem uma gorgon na caverna em que a única espada capaz de acabar com o mau estaria escondida – qualquer semelhança com a Colt ou a faca dos Winchesters não é mera coincidência.

A presença da monstrenga que transforma humanos em pedra fez com que o cavaleiro sem cabeça se tornasse útil, além de render várias boas cenas de luta na caverna.

E se Ich e Abbi conseguiram obter a espada – achei legal terem feito tanta questão de amarrar todas as pontas da profecia -, só escaparam do Sem Cabeça por conta do chamado de Moloch para a “festinha do Apocalipse”.

Espada em mãos, eles acabam com outro problema: quem a usar terá sua alma consumida pelo fogo. Faz o que? Aproveita que o Irving já tinha assinado o contrato com sangue e ele se torna peça chave no plano para impedir que o inferno tome a terra – e mais uma prova de que esses moços do roteiro sabem mesmo amarrar pontas soltas.

Só que o moço morre no meio da batalha – e aqui eles podiam imitar Supernatural e trazer os mortos de novo a vida porque o personagem é/era ótimo – e os mocinhos decidem se sacrificar, um a um se for preciso, para acabar com a ameaça do chifrudo.

Do outro lado da cidade (brincadeirinha), Moloch não quer saber de sacrifício próprio e manda Henry para o abate, deixando bem claro que ele é perfeitamente substituível. O oposto das duas situações apenas nos preparava para a virada final.

Henry teve seu orgulho ferido por Moloch e depois tem duas provas da capacidade de sacrifício de seu pai, primeiro quando ele não o mata, depois quando ele quer se sacrificar no lugar de Katrina, o que, num impulso, o leva a usar a espada contra o chifrudo.

Agora: a alma de Henry já havia muito tinha sido entregue ao capeta, o que nos indicaria que ele não morreu ao matar seu antigo mestre. Mas o que ele fez é o bastante para redimi-lo?

Sorte da gente que não vai precisar ficar esperando dois meses para descobrir, como os fãs nos EUA tiveram que fazer.

Sleepy Hollow The Akeda Henry Moloch 2x11

P.S. A despeito de tudo que gostei, os roteiristas falharam em uma coisa: Katrina continua sobrando viva e irritante.

P.S. do P.S. Ainda gostando desta dupla de episódios, é inegável que os roteiristas tem ótimas ideias, eu fico com a impressão de que o maior defeito de Sleepy Hollow é prometer mais do que entrega. Se eu já tinha achado a vinda de Moloch precipitada, de repente ele mal chegou e é facilmente eliminado. O que resta agora para a série é se reinventar, porque as tramas acabam sendo curtas demais.

P.S. Ich e o aplicativo da previsão do tempo, e sua paixão pela recém descoberta motocicleta e o seu problema com o GPS, como não amar?

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *