“A humilhação pública é um esporte sangrento que precisa parar”

A frase que dá título a este texto é de Monica Lewinsky, conhecida de todos que eram mais que crianças em 1998 pelos motivos errados. Como ela própria fala neste Talk do TED que tem sido compartilhado vezes sem conta, Monica foi a primeira vítima real da força que as mídias digitais tem para destruir alguém.

Monica pode se considerar uma vencedora afinal, mesmo sendo citada em quase 40 raps e chamada de todos os comuns nomes usados por se referir a mulheres que fazem algo que criticamos, ela está aí. Ela resolveu falar, ela sobreviveu.

Só que ela jamais poderá esquecer o erro que cometeu aos 22 anos de idade. Na verdade eu acho que todos nós lembramos dos erros que cometemos quando éramos jovens, só que ela tem seus erros, seja se apaixonar pelo chefe, seja usar a tal boina, publicados por todo o mundo virtual, para não ser esquecido.

Apesar dos muitos avanços em identificar e classificar o bullying, as vítimas desse tipo de crime continuam surgindo e nem todas sobrevivem para perceber que isso passa, que são mais que um erro ou uma característica replicada sem dó por pessoas que apenas não tem fé em si mesmas.

Ouvir Monica contando sua história tantos anos depois é importante, ao menos para que possamos refletir sobre a forma como vemos e compartilhamos histórias nas redes sociais.

Realmente precisamos comentar, ter opinião ou compartilhar histórias em que alguém possa se sentir humilhado? Podemos ter uma atitude diferente em como tratamos e acolhemos as pessoas que sofrem o bullying?

Podemos, além de aplicar os três filtros de Sócrates para tudo que dizermos, diminuir o efeito dessas histórias?

Eu acredito que sim. Acredito que mais que compartilhar e comentar sobre tristes histórias – tristes no sentido de infelizes para alguém – podemos compartilhar histórias que realmente valham a pena.

Podemos denunciar ao Twitter e ao Facebook posts e comunidades ofensivas. Podemos não passar adiante o que nos choca, silenciar neste caso é melhor que compartilhar para criticar, porque você estará dando audiência para quem não merece.

Acho que, já que na Páscoa cristã falamos sobre renascimento, é um bom momento para refletirmos que as redes sociais que vemos, a que aparece em nossas linhas do tempo, é o reflexo das escolhas que fazemos.

P.S. Se tem algo indispensável ensinar aos nosso filhos isso é: não seja cruel. Nunca.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *