Livros: Minha Breve História

Meu primeiro contato com Stephen Hawking foi durante o colegial – o que hoje é chamado de ensino médio: eu fazia colegial técnico de tecnologia têxtil e apanhava da física. Na verdade, primeira matéria que me trouxe alguma dificuldade enquanto eu estudava, feito repetido por contabilidade tributária anos depois.

Meu professor de física tinha o livro Uma breve história do tempo sobre sua mesa enquanto eu conversava sobre um trabalho e fiquei curiosa. Acabei pegando o livro na biblioteca do SENAI, mas tive que devolvê-lo por conta do prazo antes que tivesse chegado ao final. Acabei concluindo na época que o limite para minha nerdice era entender física.

Depois eu veria Hawking várias vezes na TV e na internet por conta de suas descobertas, seus prêmios e, claro, por conta da forma como ele superava os limites impostos pela ELA.

E querer conhecer mais sobre sua vida foi o que me levou a escolher Minha Breve História quando trocava pontos do programa de fidelidade da Livraria Cultura por ebooks no ano passado.

Não me assustei com o tamanho, apenas 79 páginas. Lembrava de ter lido Hawking falando sobre o esforço que ele precisa fazer para escrever cada palavra e como isso faz com que ele sempre tenha que as escolher direito para poder ser o mais claro possível com o mínimo delas.

Minha breve história, então, é curto e direto. Um livro para “ser lido em uma sentada só”.

Nele Stephen fala, claro, sobre o diagnóstico e os anos de convivência com a doença que vieram a seguir. Fala de forma surpreendentemente simples sobre seus dois casamentos e seus três filhos. Ele também fala dos principais pontos que defendeu em seus trabalhos e dá pequenas explicações sobre o tempo e, ideal para fãs de ficção científica, sobre viagens no tempo.

livro minha breve historia de stephen hawkingDe novo minha incapacidade de entender plenamente como uma pessoa pode transformar algo da vida em uma equação matemática faria que eu me perdesse um pouco. Mas muito pouco, até porque você começa o livro descobrindo que o próprio Hawking não era lá muito fã de matemática.

Na verdade, Hawking nem era muito fã de estudar em si, o que deve ter irritado bastante os colegas, principalmente os melhores amigos também pesquisadores.

Ao final da leitura é impossível não admirar ainda mais sua capacidade de manter a esperança e o bom humor, de não desistir e, mais que tudo, de não parecer ridículo ao mudar de ideia.

“Tive e tenho uma vida completa e prazerosa. Acredito que pessoas com deficiências devem se concentrar nas coisas que a desvantagem não as impede de fazer, e não lamentar as que são incapazes de realizar.” – substitua ‘pessoas com deficiências’ por ‘pessoas’ e coloque essa frase ao alcance dos olhos para não esquecer jamais, ok?

Sinopse

Stephen Hawking conquistou leitores de todo o mundo com best-sellers que explicam os mistérios do universo. Agora, pela primeira vez, um dos mais brilhantes cosmologistas de nossos tempos volta o olhar para sua própria história de vida e evolução intelectual. Minha breve história conta a improvável trajetória de Hawking, desde a infância na Londres do pós-guerra até o reconhecimento científico internacional. Com fotos pessoais, raramente publicadas, este relato conciso e divertido — o primeiro escrito inteiramente pelo autor, sem a ajuda de terceiros, desde Uma breve história do tempo — apresenta o leitor a um Hawking quase nunca vislumbrado nos livros anteriores: o estudante curioso que foi apelidado de Einstein; o brincalhão que já apostou com um colega sobre a existência de um buraco negro; e o jovem marido e pai lutando para alcançar prestígio no mundo da física e da cosmologia. Com simplicidade e bom humor, Hawking discorre sobre os desafios que precisou enfrentar após o diagnóstico de esclerose lateral amiotrófica aos 21 anos. Ao contar sobre o desenvolvimento de sua carreira, ele explica que a ideia de uma morte prematura o instou a se dedicar com mais afinco às descobertas intelectuais e fala sobre a origem de sua obra-prima, Uma breve história do tempo, um dos livros mais importantes do século XX. Perspicaz, íntimo e inteligente, Minha breve história abre uma janela para o universo pessoal de Hawking.

P.S. Diria que vai rolar por aqui um “Especial Stephen Hawking”: nesta semana pude assistir a pré-estreia de A Teoria de Tudo, filme lindo baseado no livro escrito por Jane Hawking, primeira esposa de Stephen, e falo dele aqui amanhã. O livro foi um presente do estúdio Universal aos presentes na cabine de imprensa e já está sendo devorado, ou seja, daqui a pouco vem pra cá também.

Diga-se: não deixa de ser engraçado comparar Minha Breve História e suas 79 páginas e o livro de Jane e suas quase 500 para contar a mesma história, ainda que com pontos de vista diferentes.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *