Livros: Rin Tin Tin

livro rin tin tinEntão o tema de maio do Desafio Literário do Tigre era animais e eu não precisei pensar nada nada para escolher o livro da vez: tendo ganho Rin Tin Tin de uma amiga querida, na verdade ele já estava escolhido.

Tudo bem que, ao longo da leitura, eu fiquei um tanto na dúvida se ele era mesmo um livro “sobre animais” ou se era uma “biografia”, até porque raras vezes eu li uma “biografia” tão bem escrita, ainda que ela seja sobre um cão. Ou melhor, sobre um mito.

Não à toa, Susan Orlean levou quase 10 anos para escreve-la: ela viajou na história e pelo mundo atrás das histórias, documentos, filmes e fotos que contavam a vida de quase 100 anos desse cachorro.

Não, você não leu errado, são quase 100 anos e por mais que seja impossível um cão viver por tanto tempo, eu agora estou na lista de pessoas que acredita firmemente que ele, nascido em meio a Primeira Guerra Mundial, ainda esteja vivo.

Eu não fui uma fã da série Rin Tin Tin e antes de começar o livro busquei pelas lembranças que o marido tinha dela – diferença de idade muito grande também tem sua utilidade. Somente ao ler o livro é que eu descobri que a história começou muito antes disso: os primeiros filmes do “verdadeiro” Rin Tin Tin, datam da década de 20 e fazem parte da história do cinema mudo.

Um cão achado por acaso entre os escombros da guerra em plena França e atravessou o oceano com seu novo dono merecia mesmo um destino tão brilhante. E o sucesso foi tão grande que Rin Tin Tin teria ganhado o Oscar de melhor ator na primeira edição do prêmio da Academia, não tivesse sido pedida uma recontagem sem seu nome, só porque ele não era gente, porque acharam que um prêmio que tivesse um cão entre seus ganhadores não seria levado a sério.

Talvez para mostrar ao pessoal da academia o quanto eles estavam errados, Rin Tin Tin deixou de ser um cão e virou um mito, vivido por diferentes cães ao longo da história, mas mais que isso, vivo na memória de pessoas ao redor do mundo desde tempos em que as fitas de cinema atravessavam o oceano em barcos por dias e dias e em que o custo dos filmes hoje não pagaria por um comercial.

O livro é tão apaixonante quanto seu protagonista: ao nos contar a história de Rin Tin Tin, Susan  nos fala sobre o surgimento da indústria de cinema, a construção de Hollywood, os primeiros anos do cinema falado e um tempo em que a TV ainda era uma promessa.

Tudo isso sem deixar de lado o lado humano dessa história, do homem que encontrou em um cão a família que ele nunca teve e das pessoas que tiveram sua vida de alguma forma modificada porque um dia ela foi tocada por esse mito.

Recomendo demais a leitura e vou ali ver se encontro uma miniatura do Rin Tin Tin para chamar de minha.

Sinopse

Ele achava que o cão era imortal. Assim começa a vasta, poderosa e comovente narrativa de Susan Orlean sobre a jornada de Rin Tin Tin – de sobrevivente órfão a astro do cinema e ícone internacional do showbiz. Suzan, redatora da New Yorker chamada de patrimônio nacional pelo Washington Post, passou cerca de dez anos pesquisando e escrevendo sua mais cativante obra- a história de um cão que nasceu em 1918 e nunca morreu. A narrativa começa num campo de batalha francês da Primeira Guerra Mundial, quando Lee Duncan, um jovem soldado americano, descobre um sobrevivente- um pastor-alemão recém-nascido nas ruínas de um canil bombardeado. Para Duncan, que passou parte da infância num orfanato, a sobrevivência do cão fora um milagre. Havia algo em Rin Tin Tin que o compelia a compartilhá-lo com o mundo. Duncan o levou, então, para a Califórnia, onde suas aptidões físicas e a capacidade de representar chamaram a atenção da Warner Bros. Durante os dez anos seguintes, Rinty estrelou 23 sucessos do cinema mudo que salvaram o estúdio da falência e fizeram dele o cão mais famoso de todos os tempos. No auge da popularidade, Rin Tin Tin foi o campeão de bilheteria de Hollywood. Ao longo das décadas seguintes, Rinty e seus descendentes fizeram a conturbada jornada do cinema mudo ao falado, do preto e branco à cor, do rádio à televisão, culminando no seriado de TV As Aventuras de Rin-Tin-Tin, um dos mais populares programas da época do baby boom. O legado do cão herói foi consolidado por Duncan e alguns outros – como Bert Leonard, o produtor do seriado da TV, e Daphne Hereford, a proprietária do atual Rin Tin Tin –, que dedicaram a vida para assegurar a imortalidade da lenda. Na essência de Rin Tin Tin – a Vida e a Lenda há um tocante estudo do duradouro vínculo entre os humanos e os animais. Mas o livro é também uma história ricamente matizada da indústria do entretenimento e do empreendedorismo no século XX. Abarcando um período de 90 anos, ele aborda a mudança de status dos cães, de ajudantes em fazendas a membros diletos das famílias urbanas, da origem do treinamento para a obediência à evolução genética das raças, da ascensão de Hollywood ao passado e presente dos cães de guerra. Rico de humor e emoção, repleto de momentos que certamente levarão o leitor às lágrimas, Rin Tin Tin fez parte da prestigiadíssima lista dos 100 MELHORES LIVROS DO ANO do New York Times, principalmente por ser uma mescla irresistível de história, humanismo e maestria narrativa – esplêndida celebração de um grande ícone universal por uma das mais talentosas escritoras da atualidade.

P.S. No meu instagram eu acabei publicando imagens de algumas passagens do livro. Um livro bem escrito faz com que as passagens marcadas sejam muitas e esse é um bom exemplo disso. O livro seguiu viagem para a casa do meu pai com muitas orelhas nas páginas.

desafio literario do tigre

Gostou do Texto?

Cadastre seu email e receba novos
textos por email:

3 comentários em “Livros: Rin Tin Tin”

  1. Tati Lopatiuk
    Tati Lopatiuk 21/05/2014 em 6:17 pm

    Caramba, fiquei com vontade de ler! Deve ser muito interessante mesmo! *-*

  2. Célia
    Célia 24/05/2014 em 6:28 am

    Quando comecei a ler, pensei imediatamente em você, Si. Fico feliz demais que você tenha gostado! Beijo grande.

Deixe seu Comentário