Livros: O Teorema Katherine

desafio literario do tigre

Então que para o Desafio Literário do Tigre de abril eu precisava ler um livro “de modinha”. Particularmente eu não tenho nada contra livros de modinha, na verdade descobri muito autor bom lendo o livro dele que virou best-seller, mesmo que depois o fenômeno não tenha se repetido.

Ainda assim eu não sabia o que eu ia ler neste mês até que vi a lista de desapegos da própria Tati lá no Skoob e pedi dois, um deles o livro  O Teorema Katherine, que não sei se virou best-seller, mas é de um ator que está super na modinha: John Green.

Sim, eu falei dele aqui quando li, e chorei loucamente, A Culpa É das Estrelas, livro cujo sucesso acabou impulsionando outro com a história verdadeira da menina que inspirou o autor, e ele tem sido apontado como o queridinho dos jovens, levando muito gente para a livraria.

Por conta desse sucesso todo acho que O Teorema Katherine também vale como escolha, estou certa?

Sinopse

Se o assunto é relacionamento, o tipo de garota de Colin Singleton tem nome- Katherine. E, em se tratando de Colin e Katherines, o desfecho é sempre o mesmo- ele leva o fora. Já aconteceu muito. Dezenove vezes, para ser exato. Após o mais recente e traumático pé na bunda, o Colin que só namora Katherines resolve cair na estrada. Dirigindo o Rabecão de Satã, com seu caderninho de anotações no bolso e o melhor amigo no carona, o ex-garoto prodígio, viciado em anagramas e PhD em levar o fora, descobre sua verdadeira missão- elaborar e comprovar o Teorema Fundamental da Previsibilidade das Katherines, que tornará possível antever, através da linguagem universal da matemática, o desfecho de qualquer relacionamento antes mesmo que as duas pessoas se conheçam. Uma descoberta que vai entrar para a história, vai vingar séculos de injusta vantagem entre Terminantes e Terminados e, enfim, elevará Colin Singleton diretamente ao distinto posto de gênio da humanidade. Também, é claro, vai ajudá-lo a reconquistar sua garota. Ou, pelo menos, é isso o que ele espera.

Bom, a verdade é que se A Culpa É das Estrelas me agarrou logo de início, fiquei de birra com O Teorema. Talvez eu estivesse receosa, afinal eu não tinha gostado muito de Cidades de Papel do mesmo autor.

Acho que, na verdade, meu principal problema foi conseguir me conectar com Colin, o personagem principal. Um menino que nada viveu da vida ainda, mas já tão decepcionado por não ser importante.

o teorema katherineComecei a gostar um pouco mais do livro quando ele e seu melhor amigo resolvem embarcar em uma viagem sem destino em seu carro e acabam chegando a uma pequena cidade aonde você acha que nada vai acontecer, mas aonde a vida aprendemos que vida é o que acontece justamente nas pequenas coisas.

Mas foi somente o seu final me realmente me ganhou, porque Colin foi capaz de perceber o que realmente importava e porque aprendemos sobre cada uma das Katherines em sua vida. Em verdade, acho que se o autor nos contasse a história das 19 Katherines no começo do livro, ao invés de um apêndice final, acho que ele teria despertado mais minha curiosidade.

E por que insistir em chegar até o final? Na verdade você chega sem perceber porque, mesmo quando a história não é boa, os diálogos são.

Sabe aquelas frase bem colocadas, aquele bate-bola que dá gosto? Pois bem, você gostando ou não do Colin, você ganha isso e vai seguindo, vai seguindo até que, quando vê, já está na parte em que a história fica boa.

Se você está na lista de quem não gostou de A Culpa é das estrelas, não recomendo, mas se gostou acho que vale dar uma chance.

Ah, sim, depois da explicação sobre as Katherines você aprende um pouco de matemática.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

2 Comentários


  1. oi Simone, li esses dois livros do John Green e gostei bastante, concordo que o Teorema demora para engrenar mas a história ganhou meu coração, fora que adoro matemática, então o livro me seduziu pelas piracoes dele 🙂
    Terminei de ler essa semana Eleanor & Park da Rainbow Rowell, queria ler um livro leve e fugir do John Green um pouco. Olha acertei na minha escolha, romance adolescente bem fofo, uma boa distração, bem escrito, não da para parar de ler.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *