Homeland: Still Positive (3×06)

Opa, opa, correr para falar do episódio agora que as coisas parecem ter voltado ao normal por aqui, não é mesmo? E hoje é dia de Homeland e as coisas andam mesmo precisando de nossa atenção na série, afinal os roteiristas não brincaram em serviço neste episódio.

Homeland: Still Positive 3x6 s03e06

Still Positive será o episódio que nos trouxe Javadi, personagem até então conhecido apenas por comentários, e nos soltou a bomba da gravidez da Carrie – Deixando a seguinte dúvida: no hospital ninguém descobriu isso? Como? Aplicaram choques em uma mulher grávida sem fazer essa checagem?

Talvez a questão até passasse mais fácil para mim não fosse eu já ter tido que engolir a ideia de que Carrie sabia de tudo e seu susto ao ver Saul entregá-la ao comitê do senado foi apenas drama de bipolar. Como eu já estava insatisfeita confesso que já iniciei a lista de bolas fora da temporada para análise posterior.

Voltando a Javadi: o plano de Saul nos parece ainda mais elaborado, já que descobrimos que Javadi é um “vendido e que ele e Saul tem um passado conturbado. O problema é que Saul se arrisca demais e não pesa o que esse passado conturbado poderia resultar para todo.

Então vamos ao sentimento de confusão inicial da conversa de Carrie e Javadi – e a estranha sensação de que todo mundo sabe muito mais do que a gente – ao horror de ver o quanto ele guardou a revolta por ver sua esposa fugindo para outro país a ponto de matar a ela e a nora com muito sangue frio.

Aquele soco de Saul foi pouco perto do que ele merecia.

E não foi só isso que não deu muito certo para Saul: depois de flagrar a esposa no tal jantar eles finalmente tem uma conversa sobre sua relação. Eu confesso que nem entendi o reaparecimento da moça na série, já que este casamento está encerrado desde o primeiro episódio dela.

Ah, sim, e ainda tem o fato de que o novo diretor da CIA já encontrou alguém para ajudá-lo a colocar Saul para fora, alguém falso o bastante para fingir que nada está acontecendo.

Finalmente, e também um pouco menos importante, Dana. Achei bem legal a ideia de que ela trocasse seu sobrenome, a ponto de não entender porque todos na família não fazem o mesmo. Fiquei tremendamente tocada pelo funcionário, inclusive, por sua capacidade de empatia, de entender o que a família estava passando. Foi a primeira vez em que vemos isso desde o começo da temporada.

Aí ela simplesmente deixa sua casa. Por mais que eu entenda que ela está enfrentando coisas demais e que ficar naquela casa não ajuda em nada, eu insisto que esse é um problema de família e que melhor seria todos deixaram aquela casa e realmente tentarem uma vida nova.

Escrito por Simone Miletic

Formada em contabilidade, sempre teve paixão pela palavra escrita, como leitora e escritora. Acabou virando blogueira.

Escreve sobre suas paixões, ainda que algumas venham e vão ao sabor do tempo. As que sempre ficam: cinema, literatura, séries e animais.

1 comentário


  1. O comportamento da Dana de ir embora de casa nem sei se entendo, mas a mãe simplesmente aceitar, quase como se fosse natural, me chocou. Não sei o que faria, mas antes de aceitar, com toda certeza, faria um barraco, que é o que se espera das mães.

    Responder

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *